Ministério Público abre inquérito a praxe com alunos do Algarve

O Ministério Público instaurou um inquérito à praxe académica que envolveu alunos da Universidade do Algarve e resultou no internamento hospitalar de uma aluna, adiantou à Lusa o gabinete de imprensa da Procuradoria-Geral da República (PGR).
créditos: AFP/ERIC CABANIS

Questionado pela Lusa, o gabinete de imprensa da PGR adiantou apenas que “o Ministério Público decidiu instaurar um inquérito relacionado com essa matéria”.

Já na quinta-feira o Ministério da Educação e Ciência (MEC) informou que pediu esclarecimentos sobre o caso e afirmou que “aprecia a resposta rápida do reitor da Universidade do Algarve”.

“O secretário de Estado do Ensino Superior contactou hoje [quinta-feira] de manhã o reitor da Universidade do Algarve a fim de se informar sobre o episódio ocorrido na noite de quarta-feira, em Faro, em que uma estudante teve de receber tratamento hospitalar e pediu-lhe para transmitir à estudante e à sua família os votos de rápido restabelecimento. O Ministério da Educação e Ciência aprecia a resposta rápida do Reitor da Universidade do Algarve, que instaurou um processo de averiguações ao caso reportado”, lê-se num comunicado da tutela.

O reitor da Universidade do Algarve (UAlg) anunciou a abertura de um processo de averiguações.

Coma alcoólico

O caso, que ocorreu na noite de quarta-feira na Praia de Faro, foi relatado ao reitor da academia algarvia pelos pais da aluna, de 19 anos, e que entrou agora para a universidade, o que levou António Branco a decidir instaurar um processo para apurar eventuais responsabilidades disciplinares dos estudantes da universidade envolvidos.

Comentários