Milhares de avós e netos celebram encontro de gerações

Dia dos Avós em Penafiel vai contar com um bolo de 101 metros de comprimento

Mais de 5.000 idosos de Penafiel vão assinalar, no sábado, o Dia Nacional dos Avós, momento que a autarquia local pretende que seja um "encontro de gerações" que une avós e netos, disse hoje fonte autárquica.

 

"Este é um dia muito especial para nós", comentou à Lusa o vereador Adolfo Amílcar.

 

A edição deste ano apresenta como novidade a disponibilização de divertimentos para os mais novos, vincando a vontade de transformar o momento num "grande ponto de encontro" e partilha das gentes de todo o concelho, de várias idades.

 

"Há pessoas das várias freguesias que, nestes momentos, se reencontram. Por isso, este dia é extremamente importante para reviver, para contar histórias e os percursos de vida. É neste dia que isto acontece", assinalou.

 

O Dia dos Avós em Penafiel é anualmente marcado pela oferta de um bolo, de grandes dimensões, aos participantes na atividade.

 

Este ano, o bolo terá 101 metros comprimento, tanto quantos os anos do idoso mais velho do concelho.

 

No parque da cidade, ao longo do dia, os idosos vão poder desfrutar de um programa com diversas atividades preparado pela Câmara de Penafiel, destacando-se um grande piquenique oferecido pela autarquia.

 

De manhã, o bispo do Porto vai presidir à missa solene e a tarde será animada com música popular.

 

O dia é também uma homenagem a Ana Elisa Couto, natural de Penafiel, a mentora do Dia dos Avós em Portugal.

 

"Foi uma penafidelense que deu início a esta ideia e concretizou-a", evidenciou Adolfo Amílcar, acrescentando: "por isso o Dia dos Avós em Penafiel tem um sabor e um carinho especial na nossa terra".

 

Ana Elisa Couto, natural de Penafiel, começou em 1986 a defender a ideia de criação de um Dia Nacional dos Avós, tendo escrito várias cartas a responsáveis políticos, incluindo os presidentes da República Mário Soares e Jorge Sampaio e os primeiros-ministros Cavaco Silva e António Guterres.

 

Os argumentos de Ana Elisa Couto foram reconhecidos em 2003 pela Assembleia da República, a qual aprovou uma resolução que criou o dia Nacional dos Avós, assinalado a 26 de julho.

 

Ana Elisa Couto, avó de seis netos, morreu em 2007, com 81 anos.

 

Por Lusa

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários