Maioria das famílias terá menor retenção de IRS em 2015 e maior reembolso em 2016

A maioria das famílias deverá beneficiar de taxas de retenção na fonte mais baixas em 2015, podendo ainda haver um aumento dos reembolsos de IRS em 2016 relativos aos rendimentos auferidos este ano, segundo as contas da consultora PricewaterhouseCoopers (PwC).
créditos: AFP

De acordo com o fiscalista da PwC Luís Filipe Sousa, as simulações hoje realizadas para a Lusa, no dia em que foram publicadas as novas tabelas retenção na fonte em Diário da República, permitem concluir que "há uma redução generalizada das taxas de retenção na fonte para 2015".

As simulações foram feitas para agregados familiares casados e solteiros com um, dois e três filhos para três níveis de rendimento mensal: 800 euros por titular, 1.500 euros por titular e 3.000 euros por titular.

Para os rendimentos de 1.500 e 3.000 euros mensais, "genericamente, a redução da taxa de retenção na fonte é menor do que a redução da taxa efetiva de tributação", que considera o imposto total anual devido, mas, para o nível de rendimento mais baixo (800 euros), "sucede o contrário, isto é, a redução da retenção na fonte é maior do que a redução da taxa efetiva de imposto, quer para solteiros quer para casados".

Outra conclusão apontada pelo fiscalista Luís Filipe Sousa é que é previsível que "a maioria da famílias, para além de conseguir beneficiar da totalidade da dedução por conta das despesas gerais familiares, passa ainda a efetuar diversas deduções à coleta (saúde, educação, encargos com imóveis)".

Tendo em conta que algumas destas deduções são maiores em 2015 do que eram em 2014 (caso das despesas de saúde), a PwC considera que, "na maior parte das situações, a diminuição do imposto final que os contribuintes virão a sentir em 2016 será maior do que a redução que irão sentir mensalmente em 2015".

Ou seja, "é expectável que na maioria dos casos haja lugar a um aumento dos reembolsos de IRS a ocorrer em 2016 relativos ao IRS de 2015", explicou Luís Filipe Sousa, acrescentando que, "nestes casos, o impacto da redução do IRS constante da reforma do IRS sobre os contribuintes será repartido entre a retenção mensal de imposto e o reembolso aquando da emissão da nota de liquidação".

Comentários