Mãe de criança localizada na Bélgica deixou hoje Portugal

Polícia Judiciária (PJ) deteve na semana passada o pai da criança por suspeita do sequestro da filha

A mãe da criança localizada na Bélgica, depois de o pai a ter sequestrado e ter estado dois anos desaparecida, viajou hoje de manhã para aquele país para recuperar a menor, disse à Lusa um familiar.

 

A mesma fonte disse à agência Lusa que a mãe da criança, Carla Evangelista, “já viajou para a Bélgica esta manhã”, mas “ainda não sabe quando vai poder recuperar a filha e regressar a Portugal com ela”.

 

Aquele familiar acrescentou que esta é a única informação disponível, mas manifestou o desejo de que “os dois anos de preocupação cheguem ao fim” e a família possa “ter algum descanso já com a Alice de volta a casa o mais rápido possível”.

 

A Polícia Judiciária (PJ) deteve na semana passada o pai da criança por suspeita do sequestro da filha, crime alegadamente cometido na sequência de uma decisão judicial que o sentenciava a entregar a criança à mãe.

 

A detenção foi feita em Lisboa, fruto de uma investigação conduzida pela Diretoria do Sul da PJ, mas o homem, de 36 anos, não estava na companhia da menor na altura da detenção, precisou a Judiciária quando anunciou a detenção.

 

“O detido, em setembro de 2012, na sequência de sentença do Tribunal de Família e Menores, deveria ter entregado a sua filha menor de sete anos à progenitora desta. Não obstante, ausentou-se em companhia da menor para parte incerta, tendo agora sido localizado e detido na zona de Lisboa”, contextualizou a PJ nessa ocasião.

 

A Polícia Judiciária sublinhou que prosseguiam as diligências de investigação no sentido de recuperar a menor, que acabou por ser localizada na Bélgica, em companhia da avó paterna, tendo depois passado para os cuidados de uma instituição belga, que a fonte familiar disse à Lusa desconhecer onde está localizada.

 

A fonte da família, que reside em Tavira, destacou ainda a “luta incansável” de Carla Evangelista para recuperar a filha ao longo destes dois anos em que o pai esteve desaparecido com a menor e disse não saber “onde foi buscar forças” para superar este período difícil da sua vida.

 

A Lusa tem tentado contactar com Carla Evangelista, mas até ao inicio da tarde de hoje ainda não foi possível.

 

Por Lusa

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários