Novo livro infantil alerta para riscos da poluição e da pesca excessiva

Uma investigadora do CIIMAR - Centro Interdisciplinar de Investigação Marinha e Ambiental da Universidade do Porto escreveu um livro infantil sobre a vida das enguias, alertando para os obstáculos à sua migração, a pesca excessiva e a poluição.
créditos: AFP

O livro apela à "amizade, entreajuda, força e esperança" e tem um caráter educativo, "emotivo e apelativo", revelou à Lusa a investigadora Sónia Costa, autora da obra.

Conta a história de duas enguias, Angui e Luna, "que partem do mar dos Sargaços rumo ao rio Minho, regressando anos mais tarde".

"Ao longo da viagem, as duas enguias vão viver algumas aventuras e vão cruzar-se com outros animais com os quais trocam experiências que revelam ao leitor algumas características do ciclo de vida desta enigmática espécie", explicou.

A enguia foi escolhida como protagonista da história por ser pouco conhecida e uma das espécies mais ameaçadas a nível mundial, "à qual nem sempre se tem dado a devida atenção".

O livro tem como objetivo dar a conhecer esta espécie (a enguia-europeia), que passa por vários tipos de ambiente ao longo da sua vida - mar, estuário e rio -, bem como alertar para algumas ameaças a que está sujeita, como as barreiras construídas nos cursos de água, a sobrepesca e a pesca furtiva.

A pesca do meixão (fase juvenil da enguia, também conhecida como enguia-de-vidro), "frequentemente capturado de modo ilegal" e com um preço de venda elevado, é também explorada no livro.

Na obra, a autora aborda ainda temas relacionados com os derrames de petróleo e o lixo marinho.

O livro começou a ser escrito no final do verão de 2013, tendo levado dois anos a ficar concluído.

Comentários