Horário da refeição pode melhorar a fertilidade em mulheres com ovários policísticos

Gerir os níveis de insulina através do horário das refeições estimula a ovulação e diminui a testosterona.

A Síndrome do Ovário Policístico (SOP), um transtorno comum que prejudica a fertilidade pelo impacto que tem na menstruação, na ovulação e nas hormonas, está intimamente relacionada com os níveis de insulina.

 

As mulheres com a doença têm normalmente resistência à insulina – os seus corpos produzem um excesso de insulina para conduzir a glucose do sangue até aos músculos. O excesso faz o seu caminho até aos ovários, onde estimula a produção de testosterona, prejudicando a fertilidade.

 

Daniela Jakubowicz, investigadora da Universidade de Tel Aviv, em Israel, e da Unidade de Diabetes do Wolfson Medical Center descobriu uma maneira natural para ajudar as mulheres de peso normal que sofrem de SOP a gerirem os seus níveis de glucose e insulina para melhorar a fertilidade em geral.

 

A investigadora afirma que está tudo no horário. O objetivo do seu plano de refeição de manutenção, com base no ciclo metabólico de 24 horas do corpo, não é a perda de peso mas sim a gestão da insulina. As mulheres com SOP que aumentaram a ingestão de calorias ao pequeno-almoço, incluindo na refeição alimentos com altos teores de proteínas e de hidratos de carbono, e que reduziram a ingestão de calorias durante o resto do dia, viram uma redução na resistência à insulina. Isto levou a níveis mais baixos de testosterona e a um aumento dramático na frequência de ovulação – medidas que têm um impacto direto sobre a fertilidade, observa Daniela Jakubowicz.

 

GERIR A INSULINA PARA ESTIMULAR A OVULAÇÃO

Muitas das opções de tratamento para a SOP são exclusivamente para mulheres obesas, explica Daniela Jakubowicz. Os médicos muitas vezes sugerem a perda de peso para geriros níveis de insulina ou prescrevem medicamentos que são usados para melhorar os níveis de insulina em doentes com excesso de peso.

 

Mas muitas mulheres que sofrem de SOP conseguem manter um peso normal – e estão à procura de formas de melhorarem as suas hipóteses de conceber e dar à luz um bebé saudável.

 

Num outro estudo recente, Daniela Jakubowicz e outros colegas investigadores confirmaram que um plano de perda de peso de baixas calorias com foco em pequenos-almoços maiores e jantares muito mais leves também diminuía a insulina, a glucose e os triglicéridos.

 

Esta constatação inspirou-a para testar se um plano de refeição semelhante poderia ser uma opção terapêutica eficaz para mulheres com SOP.

 

O novo estudo foi publicado na revista Clinical Science.

 

 

Maria João Pratt

artigo do parceiro:

Comentários