Filhos inibem o desejo sexual dos homens

A fadiga pessoal é o principal impedimento para o desejo sexual dos pais, seguido por stresse e pela falta de tempo disponível.

Os homens que são pais pela primeira vez costumam apresentar alterações no desejo sexual pelas mães dos seus filhos recém-nascidos, que pode surgir por vagas tendo por base fatores que não estão associados a mudanças corporais provocadas pela gravidez e nascimento do bebé, descobriu um novo estudo.

 

O cansaço e o stresse de ser um pai recente podem causar uma perda de desejo pelos parceiros, de acordo com um estudo hoje publicado na versão online da revista Journal of Sexual Medicine.

 

Ao mesmo tempo, os parceiros podem sentir desejo maior com base na necessidade de intimidade ou na perceção de que o novo bebé está a limitar a quantidade de tempo disponível para o sexo.

 

«Descobrimos que, tal como as mães, os pais vivenciam altos e baixos sexuais durante o pós-parto», declara em comunicado Sari van Anders, professor de psicologia e estudos sobre as mulheres da Universidade de Michigan, nos EUA. «O elevado desejo sexual nos pais neste momento é influenciado não só por interesse sexual, mas também por sentimentos de intimidade. O baixo desejo não é influenciado pelo desinteresse pelo parceiro ou pela situação de amamentação, como é tipicamente assumido, mas sim pelo cansaço e stresse.»

 

Até agora, a investigação tem-se concentrado na forma como o nascimento afeta o desejo sexual das mães, geralmente avaliando o impacto das alterações hormonais ou da cura que ocorrem após o parto, afirmam os autores do estudo.

 

Este estudo teve como objetivo avaliar os efeitos do parto nos pais através do preenchimento de um questionário sobre a sua sexualidade durante os três meses após o nascimento do seu filho mais novo.

 

Fatores relacionados com o cuidado da criança e da intimidade pessoal importava mais para o interesse sexual do que quaisquer mudanças físicas e hormonais sofridas pela mãe, revela o estudo.

 

«Os investigadores têm-se focado nas mães como uma influência negativa no desejo sexual do seu parceiro, talvez por causa da amamentação, falta de interesse ou questões vaginais relacionadas com o pós-parto, mas o nosso estudo é o primeiro a mostrar que a “fotografia” é diferente», afirmou Sari van Anders. «Em contraste com estes pressupostos, o nosso trabalho empírico demonstrou que os pais experimentam uma diminuição no desejo após o parto por causa de fadiga, stresse e falta de tempo livre.»

 

Curiosamente, as limitações de tempo foram citadas tanto como um impedimento como um afrodisíaco pelos inquiridos.

 

Cerca de 40 por cento citaram a falta de tempo como um dos seus três principais impedimentos ao desejo sexual, enquanto cerca de 28 por cento citaram como um dos três melhores pilotos do desejo.

 

 

Maria João Pratt

artigo do parceiro:

Comentários