Festival Panos acolhe seis grupos de teatro juvenil em Lisboa a partir de hoje

Os seis grupos de teatro foram selecionados de um universo de 34 escolas de todo o país

O Festival Panos, que se propõe apresentar uma nova dramaturgia, numa ligação com o teatro juvenil e em meio escolar, tem início hoje na Culturgest, em Lisboa.

 

Durante três dias, até domingo, seis grupos de teatro, selecionados de um universo de 36, vindos de 34 escolas de todo o país, encenam três peças oferecidas à organização, uma delas da iniciativa paralela do National Theatre de Londres, que inspira este certame - Connections (Ligações) -, explica a Culturgest, em comunicado enviado à Lusa.

 

Estas peças foram “escritas de propósito para serem representadas por adolescentes”, segundo a mesma fonte, e são elas, “Os Anjos Tossem Assim”, de Sandro William Junqueira, “O Hotel”, de Gonçalo M. Tavares, e "Eles São Mesmo Assim?”, de Lucinda Coxon, que se estreou na edição de 2013, do festival britânico.

 

Hoje, às 18:30, no pequeno auditório da Culturgest, o Páteo das Galinhas, Classe Juvenil de Teatro da Figueira da Foz, apresenta “O Hotel”. ÀS 21:30, sobe à cena “Eles São Mesmo Assim?”, pelo Grupo de Teatro Reticências, da Escola Secundária Leal da Câmara, de Rio de Mouro, no concelho de Sintra.

 

No sábado, pelas 16:00, na sala 02 da Culturgest, realiza-se uma conversa com os autores e os grupos e, às 18:30, no pequeno auditório, sobe à cena “Eles São Mesmo Assim?”, pelo Teatro D. Pedro V, de Lisboa.

 

Esta é uma peça do Connections 2013, traduzida por Patrícia Portela, que fala dos problemas da adolescência.

 

Às 21:30, no grande auditório, sobe à cena “Os Anjos Tossem Assim”, pelo Grupo de Teatro Juvenil do Cine-Teatro de Estarreja, na Beira Litoral.

 

No domingo, último dia desta 9.ª edição dos Panos, às 16:00, no pequeno auditório, o grupo Sexta Insónia, do Agrupamento Vertical de Escolas Engenheiro Nuno Mergulhão, de Portimão, apresenta “O Hotel” e, às 18:30, no palco do grande auditório, está em cena “Os Anjos Tossem Assim”, pelo Grupo de Teatro do Colégio José Álvaro Vidal – Fundação CEBI, de Alverca, do concelho de Vila Franca de Xira.

 

Por Lusa

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários