Fatura dos manuais escolares pode ultrapassar os 250 euros por aluno

É no 3.º ciclo que se nota o maior aumento

As famílias com filhos em idade escolar vão voltar a ter uma despesa elevada com manuais escolares que poderá ultrapassar os 250 euros, principalmente se frequentarem o 3.º ciclo ou o secundário.

 

Segundo um levantamento feito pela agência Lusa, o custo dos manuais vai aumentando consoante os alunos vão avançando no ensino.

 

“Os preços são praticamente incomportáveis para a maioria das famílias. O único nível de ensino com menos problemas é o 1.º ciclo, onde o valor é mais baixo”, disse à Lusa Isabel Gregório, presidente da Confederação Nacional Independente de Pais e Encarregados de Educação (CNIPE).

 

Quando entram pela primeira vez para a escola, os três livros das disciplinas principais - Estudo de Meio, Matemática e Português - custam cerca de 25 euros, mas no 2.º ano, o preço dos mesmos já sobe para 27 euros.

 

A subida vai sendo gradual e ligeira atingindo os 33 euros no 4.º ano do 1.º ciclo.

 

"Este ano, o custo dos manuais escolares é sensivelmente o mesmo que no ano passado", disse à Lusa o presidente da Confederação Nacional das Associações de Pais (Confap), Jorge Ascensão, sublinhando tratarem-se, mesmo assim, de valores muito elevados.

 

Quando os alunos chegam ao 2.ºciclo, a fatura dispara para os 150 euros, segundo o levantamento da Lusa que contabilizou os quatro manuais de educação física, musical, tecnológica e visual.
 
Preços voltam a subir
 

É no 3.º ciclo que se nota o maior aumento: no 7.º ano, uma família pode gastar cerca de 260 euros em manuais, valor que desce para 250 euros no 8.º ano e para 230 euros no 9.º ano.

 

Ao passarem para o ensino secundário, o número de disciplinas diminui mas o preço dos livros aumenta, sendo raro encontrar manuais a menos de 25 euros (à exceção de Educação Moral e Religiosa, que custam menos de dez euros).

Comentários