Estudo revela hábitos chocantes dos adolescentes nas redes sociais

Duzentas selfies por dia, bullying e verificação de popularidade, são alguns dos hábitos que o estudo levado a cabo pela CNN revela

O estudo #Being13: Inside the Secret World of Teens, realizado pela cadeia de televisão CNN, revelou dados chocantes quanto aos hábitos dos adolescentes nas redes sociais.

O universo do estudo foi de 200 adolescentes, de seis estados diferentes,  e foi analisado durante um período de seis meses. Os investigadores, que  tiveram de avaliar mais de 150 mil posts e mensagens, ficaram chocados ao descobrirem a frequência com que estes acedem às redes sociais, onde alguns deles verificam a sua página 100 vezes ao dia, assim como o conteúdo analisado, que continha linguagem inapropriada e de caráter sexual.

Os adolescentes também revelaram adição em relação ao telemóvel. Uma das raparigas do estudo revelou que tira entre 100 a 200 selfies por dia. Outra confessou que preferia ficar uma semana sem comer do que lhe tirarem o telemóvel.

Os investigadores também descobriram muitos posts relacionados com bullying, fotos de nus (15% dos adolescentes receberam fotos inapropriadas durante o período de análise do estudo) e muitas injúrias.

Outro dos dados revelados é que quando os pais resolvem ver as páginas dos seus filhos ao lado deles e assumem algum controlo nas redes sociais, este tipo de conteúdo acaba por ser minimizado.

A ansiedade causada pelas redes sociais prende-se essencialmente com os níveis de popularidade que o adolescente quer ter entre os amigos e colegas, conforme dados recolhidos no estudo:
- 61% dos adolescentes disse que acedem às suas páginas frequentemente para verem quantos likes e comentários têm os seus posts.
- 36% disseram que querem ver se os seus amigos andam a fazer coisas sem eles
- 21% querem ter a certeza de que ninguém anda a dizer mal dele.

O estudo foi elaborado com a autorização dos pais dos adolescentes, que registaram as suas contas de Facebook, Twitter e Instagram num servidor seguro, contratado pela CNN.

Além dos dados analisados nas suas redes sociais, os adolescentes também responderam a um questionário sobre os seus hábitos online.

artigo do parceiro: Susana Krauss

Comentários