Dispositivo minimalista pode proteger as crianças

O mais recente dispositivo de reconhecimento de local tem como objetivo ajudar os pais a acompanhar os filhos.

O Guardian (guardião, em inglês) é um dispositivo desenvolvido por uma empresa de Taiwan. Embora a questão das crianças desaparecidas seja uma questão complicada, o Guardian poderá vir a ser parte da solução. À prova de água, com uma bateria que dura até um ano e com um preço aproximado de 18 euros, torna-se bastante interessante para quem tem filhos pequenos.

 

Existem algumas variáveis que podem prever se um dispositivo como o Guardian vai ter sucesso no mercado. A primeira é a tecnologia. O Guardian é compatível com dispositivos iOS que têm Bluetooth. A segunda variável é o preço – o dispositivo não custa muito mais do que uma pulseira de identificação clássica ou do que as «mochilas-trela» às vezes vistas em locais públicos com muita gente.

 

Não é um substituto dos pais, mas na situação infeliz de uma criança se perder num supermercado ou num centro comercial, ser capaz de localizá-la apenas 10 minutos mais rapidamente fazem com que este dispositivo valha a pena.

 

Embora o Guardian possa dar aos pais alguma paz de espírito, será que pode ser uma ajuda numa escala maior?

 

De acordo com Ernie Allen, presidente e do Centro Internacional para as Crianças Desaparecidas e Exploradas, quando uma criança desaparece, a técnica mais eficaz para recuperá-la é uma resposta rápida - também enfatizado é o poder de uma «boa fotografia, à moda antiga».

 

«Alguém sabe onde estas crianças estão e se conseguirmos chegar a um número suficiente de pessoas de uma forma oportuna com a melhor informação e imagens possíveis, podemos trazer muitas mais crianças para casa», declarou Ernie Allen.

 

É aqui que se torna possível a uma empresa como a que desenvolveu o Guardian entrar. O recurso de pesquisa de emergência pode avisar outras pessoas na rede com informações sobre o seu filho, incluindo uma foto. Como a atenção das pessoas está a deslocar-se dos meios de comunicação tradicionais para os dispositivos móveis, é fundamental que estes tipos de notificações de emergência continuem a fluir, aparecendo à frente de pessoas que podem ser ajudar.

 

artigo do parceiro:

Comentários