DGS atenta à vacinação contra sarampo após morte de bebé na Alemanha

Em Portugal, não será uma preocupação eminente, mas as autoridades estão em alerta face a casos de imigrantes não vacinados.
créditos: Lusa

Depois da notícia da morte de um bebé na Alemanha com sarampo, a Direção Geral de Saúde avisa que em Portugal é preciso ter em atenção os casos de algumas comunidades imigrantes, nos quais a prática da vacinação é muitas vezes menosprezada.

Graça Freitas, subdiretora-geral da DGS, disse em declarações à Antena 1 que a taxa de vacinação em Portugal está acima dos 95%, mas o problema reside em alguns imigrantes que não estão vacinados e que podem trazer a doença.

Desde 2004 que não há casos nacionais de sarampo, embora Portugal tenha tido alguns casos importados da doença.

Não há no entanto registo de mortes ou casos graves nos últimos anos.

A vacina contra o sarampo é administrada no Programa Nacional de Vacinação (PNV) numa vacina trivalente VASPR em combinação com a vacina da Parotidite (papeira) e da Rubéola. Presentemente, recomenda-se a 1ª dose da VASPR aos 12 meses e, a 2ª dose aos 5-6 anos, antes da escolaridade obrigatória.

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários