Ciganos aprendem em Barcelos a ler, escrever e tratar jardins

Curso do Instituto do Emprego e Formação Profissional arrancou apenas em finais de março

Vinte adultos da comunidade cigana de Barqueiros, Barcelos, estão a aprender a ler e a escrever na antiga escola primária da freguesia, num curso que também os dota de competências profissionais na área da jardinagem.

 

A integração social e laboral dos elementos daquela etnia é o principal objetivo do curso, promovido pelo Instituto do Emprego e Formação Profissional.

 

O curso arrancou apenas em finais de março mas já deu para Alexandra Monteiro concretizar o sonho, que sempre acalentou, de saber escrever o seu nome.

 

“Já sei escrever bem”, garante, fazendo questão de o demonstrar, com visível orgulho, no quadro verde da escola.

 

Aprender a ler e escrever significou também um “salto” considerável na relação de Alexandra com o seu telemóvel.

 

Agora, como refere, já pode receber e enviar mensagens, sem pedir ajuda a ninguém.

 

Dinamizado pelo Instituto do Emprego, o curso, que decorre até inícios de outubro, com aulas diárias, garante aos alunos que tiverem aproveitamento a equivalência à “4.ª classe”, dotando-os ainda de conhecimentos na área da jardinagem, que podem ser decisivos para a sua inserção profissional futura.

 

Luís Mário, 25 anos, outro dos alunos, não fecha, de todo, a porta à possibilidade de o seu futuro laboral passar pela área da jardinagem.

 

“Pode ser, claro. Se houver trabalho nessa área, eu vou”, atira, sem hesitar.

 

A vereadora da Educação na Câmara de Barcelos, Armandina Saleiro, sublinha a importância do curso para a integração social e laboral dos elementos daquela comunidade, acrescentando que o município apoia um programa paralelo para ocupação dos tempos livres dos filhos dos formandos, desenvolvido no Centro Escolar de Barqueiros.

Comentários