Ciência Viva no Laboratório apresenta estágios para estudantes em férias

A investigação de doenças genéticas ou a aprendizagem na construção de robôs são dois exemplos de estágios que a Ciência Viva no Laboratório - Ocupação Científica de Jovens nas Férias promove e apresenta em Matosinhos.
créditos: LUSA

A iniciativa deste ano conta com 350 estágios em 80 instituições científicas, abrangendo um total de 1.075 estudantes do ensino secundário inscritos.

Criada em 1997, a Ciência Viva no Laboratório - Ocupação Científica de Jovens nas Férias já proporcionou a mais de dez mil estudantes do ensino secundário o contacto direto com o trabalho de investigação em laboratórios e instituições científicas no país.

Um dos locais de estágio é o Centro para a Excelência e Inovação na Indústria Automóvel (CEiiA), em Matosinhos, que desenvolve soluções para as indústrias da mobilidade e aeronáutica e é atualmente o maior empregador de engenheiros aeronáuticos e aeroespaciais em Portugal, segundo a Ciência Viva, Agência Nacional para a Cultura Científica e Tecnológica.

Segundo a organização, os jovens no estágio Ciência Viva estão integrados numa equipa que, em 2014, obteve o primeiro prémio do Concurso Anual de Jovens Investigadores de Aeronáutica, da Associação Europeia de Centros de Investigação Aeronáutica, pelo uso de materiais compósitos de nova geração na redução de ruídos em aeronaves.

“É precisamente na aplicação de materiais compósitos na indústria automóvel e aeronáutica que os alunos do estágio Ciência Viva estão a trabalhar, fabricando e testando uma carroçaria inspirada no veículo elétrico desenvolvido no CEiiA”, refere uma nota de imprensa hoje divulgada.

A apresentação da 19.ª edição da Ciência Viva no Laboratório - Ocupação Científica de Jovens nas Férias está marcada para as 15h00 horas de hoje no CEiiA.

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários