Cerveja sem álcool enriquece leite materno

Estudo incidiu sobre 80 mulheres em Espanha

Segundo o estudo do Hospital Universitário Doctor Peset e da Universidade de Valência, em Espanha, a cerveja sem álcool pode aumentar até cerca de 30 por cento a capacidade antioxidante do leite materno.
A pesquisa teve início em 2008 e incidiu sobre 80 mulheres saudáveis, das quais metade consumiu diariamente 660 mililitros de cerveja sem álcool durante a gestação.
Pilar Codõner, responsável pelo estudo, explica o objetivo do mesmo: "Queríamos perceber como é que um produto rico em antioxidantes, como a cerveja sem álcool, poderia modificar a capacidade antioxidante que o leite humano já tem naturalmente e, assim, ajudar a reduzir o risco de doenças cardiovasculares nas crianças que são amamentadas. "
Analisados os resultados verificou-se que as mães que seguiram a dieta com cerveja sem álcool apresentaram um menor dano oxidativo e um aumento da defesa antioxidante, tanto nas amostras de plasma como nas de urina.
”Este grupo de mulheres apresentou uma presença de 15% menos marcadores de stress oxidativo no plasma do que no outro grupo que não beneficiou da dieta de amamentação de cerveja sem álcool”, pode ler-se no relatório.
18 de agosto de 2011

Comentários