Bloco de Esquerda defende voto aos 16 anos

O voto aos 16 anos foi novamente defendido esta segunda-feira pela porta-voz do BE, Catarina Martins, considerando que se com esta idade os jovens podem assumir responsabilidades como trabalhar e pagar impostos devem ter o poder de escolher.
créditos: Lusa

O dia de campanha do Loco de Esquerda (BE) começou hoje com uma visita à Escola Profissional de Hotelaria de Fátima, onde, depois de uma roteiro pelas instalações - durante o qual pôde ver os alunos em ação quer nas aulas práticas, quer nas aulas teóricas -, Catarina Martins falou para uma plateia de jovens que, apesar de inicialmente tímidos, acabaram por fazer diversas perguntas à bloquista.

"Aos 16 anos as pessoas podem começar a trabalhar, podem pagar impostos, se cometerem um crime são presas e podem até ser mobilizadas para a tropa. E, portanto, quem pode assumir tantas responsabilidades tem de poder escolher, tem de poder votar e é por isso que o Bloco de Esquerda tem defendido o voto aos 16 anos", defendeu.

Conforme se lê no manifesto para as eleições de legislativas de 04 de outubro, o BE quer o alargamento do voto aos cidadãos estrangeiros vivendo há mais de três anos em Portugal e aos cidadãos a partir dos 16 anos de idade, que têm já responsabilidade laboral, penal e fiscal.

Aos jornalistas, Catarina Martins explicou que "nas campanhas eleitorais se fala muito dos jovens" e que o BE não é exceção nesse tema, sendo por isso "bom ouvi-los", porque “quem tem hoje 16 anos está a olhar para o futuro".

"E é isso que fizemos aqui hoje e vemos como as perguntas que colocam são perguntas determinantes para o futuro, sejam os problemas do emprego e do salário, sejam a preocupação que têm com a pensão dos seus pais e dos seus avós que também a ouvimos, sejam as preocupações ambientais", explicou.

Comentários