Avós de Lisboa pegam em agulhas e lã para combater o isolamento

Três dezenas de avós de São Paulo e das Mercês, em Lisboa, voltaram ao trabalho para transformar camisolas antigas em luvas de design com motivos tradicionais, num projeto que pretende recuperar artes e ofícios e combater o isolamento.

O projeto chama-se “A avó veio trabalhar” e reúne durante um ano 30 idosos, avós e avôs que vivem em São Paulo e nas Mercês, na junta de freguesia da Misericórdia, em Lisboa.

A ‘designer’ Susana António selecionou os motivos tipicamente portugueses que os avós bordaram à mão em camisolas antigas, recortando e confecionando depois luvas.

É esta primeira coleção de 30 luvas feita no âmbito do laboratório de artes e ofícios de “A avó veio trabalhar” que vai ser apresentada oficialmente hoje na loja na “Arte Assinada – Concept Store”, no Chiado.

“A ideia é criarmos aqui uma sinergia entre estes elementos mais tradicionais com uma cultura visual mais contemporânea”, salientou Ângelo Compota, da associação Fermenta, que desenvolve o projeto, salientando que o laboratório pretende “recuperar artes e ofícios perdidos, mas também colaborar no envelhecimento ativo e combater o isolamento, que caracterizam este território”.

O projeto foi inicialmente concebido a pensar nos idosos de São Paulo, tendo-se entretanto alargado às Mercês, devido ao aparecimento de idosos interessados.

Ângelo Compota realça que este eixo de São Paulo às Mercês tem “pouquíssimas respostas sociais e, as que existem, dedicam-se a atividades clássicas”.

“Nós tentamos criar aqui uma irreverência, recuperando velhos hábitos destes seniores”, considerou.

Comentários