Associação quer criar 250 empregos no interior para fixar jovens em Coimbra

A Associação de Desenvolvimento Integrado da Beira Serra (ADIBER) prevê incrementar a criação de mais de 250 empregos até 2020, apoiando iniciativas nas áreas do turismo e dos produtos locais que contribuam para fixar os jovens na região.
créditos: JOAO RELVAS / LUSA

O presidente da ADIBER, Miguel Ventura, disse hoje à agência Lusa que a Estratégia de Desenvolvimento Local elege o turismo e os produtos endógenos de qualidade como “setores prioritários” para o período 2014-2020.

Cabe a esta associação, com sede em Góis, distrito de Coimbra, a gestão do financiamento europeu para a vertente rural do programa Desenvolvimento Local de Base Comunitária, que dará sequência às intervenções LEADER na região.

“Temos o problema do despovoamento e do envelhecimento da população”, afirmou Miguel Ventura, sublinhando a necessidade de “fixar os jovens, promovendo a criação de emprego qualificado”.

Por outro lado, importa “não esquecer os mais idosos” e assegurar-lhes qualidade de vida “para que possam manter-se” nas aldeias desta região montanhosa do distrito de Coimbra.

A ADIBER reforçou esta semana o número de parceiros de 80 para mais de 120, entre autarquias, associações, cooperativas, empresas e estabelecimentos de ensino dos quatro municípios abrangidos: Arganil, Góis, Oliveira do Hospital e Tábua.

A reunião de constituição do novo Conselho de Parceiros da Beira Serra realizou-se na quarta-feira, em Oliveira do Hospital, tendo sido também aprovada a Estratégia de Desenvolvimento Local – Compromisso Beira Serra 14-2º, proposta pela direção.

Na sequência do “intenso trabalho de partilha e de envolvimento das comunidades locais”, a parceria coordenada pela ADIBER assume que “o principal desafio que se coloca à região é o de afirmar a Beira Serra como “um território mais ‘in’ – inovador, inteligente, inclusivo, inimitável e institucional”.

Nos próximos anos, ao concretizar a Estratégia de Desenvolvimento, a associação admite incentivar a criação de 250 a 350 postos de trabalho.

“Mas tudo depende do envelope financeiro que nos for atribuído”, disse Miguel Ventura.

No período de 2007 a 2013, a ADIBER administrou sete milhões de euros de fundos comunitários.

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários