António Jorge Gonçalves assina primeiro livro para a infância

O ilustrador e cartoonista António Jorge Gonçalves publica este mês "Barriga da balleia", o seu primeiro livro para crianças, para leitores iniciais, cuja história já foi um espetáculo de teatro.

Em "Barriga da baleia", com selo da Pato Lógico, o autor leva o leitor a acreditar na história de Sari, uma menina que um dia fugiu de casa rumo à praia e acabou engolida por uma baleia. Foi salva por Azur, um amigo com quem tinha planeado partir para a terra-onde-nunca-ninguém-se-aborrece.

António Jorge Gonçalves, Prémio Nacional de Ilustração 2013, explicou à agência Lusa que começou por contar esta história à filha Miranda - "tal como outros pais que têm de inventar histórias para os filhos" -, mas acabou por utilizá-la num espetáculo de teatro, a convite do Teatro Maria Matos.

O autor não tinha no horizonte fazer um livro para crianças, por "não saber bem para quem estaria a falar", mas com o nascimento da filha isso mudou.

Numa leitura imediata, "Barriga da baleia" remete para obras como "Moby Dick" (Herman Melville), "Pinóquio" (Carlo Colllodi) ou até mesmo para "Onde vivem os monstros" (Maurice Sendak), mas António Jorge Gonçalves afirma que sempre teve simpatia pela ideia da barriga da baleia, pelas múltiplas referências bíblicas e da mitologia polinésia.

"Barriga da baleia" aborda implicitamente temas como o medo, o desejo de descoberta, a capacidade de imaginar e fantasiar, a relação pais e filhos e a presença da natureza como "agente de grande transformação".

Como leitor e autor, António Jorge Gonçalves considera que o panorama da literatura para os mais novos, sobretudo para os primeiros leitores, revela "um belíssimo trabalho gráfico, mas poucas histórias", daquelas que desafiem e confrontem as crianças, tal como a ficção para adultos.

Comentários