Alunos dos Açores vão ter mais uma aula de português e de matemática por semana que o resto do país

Estão matriculados mais de 41 mil alunos no ano letivo de 2014/2015 nos Açores

 Os alunos do 2º e 3º ciclos do ensino básico dos Açores, vão ter mais uma aula por semana de português e de matemática que os seus colegas do resto do país, no ano letivo que agora se inicia.

 

A iniciativa, hoje anunciada pelo presidente do Governo Regional, durante a cerimónia de inauguração das obras de requalificação da Escola Básica António José d'Ávila, na cidade da Horta, é uma das medidas de combate ao insucesso escolar que o executivo quer implementar este ano.

 

"Porque entendemos que o domínio da língua e do raciocínio matemático são fundamentais para desenvolver as restantes competências, disponibilizamos nos 2º e 3º ciclos do ensino básico, a todas as escolas, neste ano letivo, um crédito horário letivo adicional", explicou Vasco Cordeiro.

 

Este crédito adicional permitirá que cada turma disponha de mais 90 minutos semanais, que serão divididos entre as disciplinas de português e matemática, aumentando de cinco para seis o número de horas letivas em cada uma.

 

O chefe do executivo adiantou ainda que a Região está a elaborar um Plano Regional de Promoção do Sucesso Escolar, para aplicar já este ano letivo, que inclui várias medidas destinadas a combater o insucesso escolar.

 

"Este plano regional vai ser concebido a partir da audição de todos os intervenientes no processo educativo, contará com uma comissão científica de reconhecida competência e orientará a luta que enfrentamos em termos educativos: a do combate ao insucesso escolar e ao abandono escolar precoce", sublinhou Vasco Cordeiro.

 

Outra das medidas anunciadas pelo presidente do Governo foi a criação da figura de "mediadores escolares", ou seja, docentes formados em parceria com a Associação de Empresários pela Inclusão Social, que irão trabalhar junto dos alunos com maiores dificuldades de aprendizagem.

 

"Oito escolas da nossa região aderiram a este projeto, orientado para o desenvolvimento das competências não cognitivas, mas essenciais ao sucesso escolar dos jovens com risco de insucesso escolar", sublinhou.

 

Vasco Cordeiro lembrou, no entanto, que o as "condições necessárias" para o sucesso escolar não dependem apenas do Governo ou das escolas, mas que começa sobretudo "em cada família açoriana".

 

No ano letivo que agora se inicia, estão matriculados mais de 41 mil alunos, distribuídos por mais de 175 escolas da rede pública, onde vão lecionar cerca de 4700 professores e cerca de 2300 funcionários.

 

As obras de requalificação da Escola Básica António José D'Ávila, permitiram a construção de dois novos edifícios, nos terrenos pertencentes à antiga escola secundária da Horta, com salas de aula, auditório, sala polivalente, refeitório e ainda de instalações para o Conservatório da Horta, num investimento total de 8,3 milhões de euros.

 

Por Lusa

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários