Alunos do secundário e do 9.º ano começam hoje época de exames nacionais

Os exames do ensino secundário valem 30% da nota final dos alunos
créditos: LUSA

A época de exames nacionais do ensino secundário arranca hoje com a prova de Filosofia enquanto os alunos do 9.º ano são chamados também a prestar provas finais a Português, todos às 09:30.

 

A prova de Português é obrigatória para todos os alunos do 9.º ano. Quase 106 mil fazem o exame, maioritariamente alunos internos do ensino regular. As raparigas superam os rapazes em número (são quase mais mil as inscritas do que os inscritos). A grande maioria dos alunos que faz a prova tem entre os 14 e os 15 anos, a idade regular para quem teve um percurso escolar até ao 9.º ano sem retenções.

 

Para a prova de Filosofia do ensino secundário estão inscritos 12.210 alunos, dos quais 8.471 são internos.

 

Para o total de exames nacionais do ensino secundário, que também contam como provas de acesso ao ensino superior, estão inscritos 158.566 alunos, uma redução de quase mil alunos no total do número de inscritos nos exames face a em 2013, quando estavam inscritos 159.153 estudantes.

 

Segundo os dados estatísticos divulgados pelo Ministério da Educação e Ciência (MEC), relativos às inscrições para os exames nacionais de 2014, 88.356 alunos inscritos (56% de um total de 158.566) manifestaram intenção de continuar a estudar e de se candidatarem a um curso superior.

 

Os exames valem 30% da nota final dos alunos.

 

Português, Biologia e Geologia, Física e Química A e Matemática A são este ano, como habitualmente, os exames mais concorridos, com 74.358, 56.005, 54.999 e 50.044 alunos inscritos em cada um deles, respetivamente.

 

A primeira fase dos exames nacionais do ensino secundário começa hoje, com a prova de Filosofia, marcada para as 09:30, e termina a 27 de junho, com as provas de Geometria Descritiva A e Literatura Portuguesa.

 

Os resultados da primeira fase dos exames nacionais são divulgados a 11 de julho. Já as pautas das provas finais do 9.º ano são divulgadas a 14 de julho.

 

Por Lusa

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários