Alunos da Batalha aprendem xadrez como atividade extracurricular

Alunos do 1.º ciclo do concelho da Batalha vão poder aprender xadrez como atividade extracurricular num projeto que arranca em novembro e que numa primeira fase abrange cinco escolas, anunciou hoje aquele município do distrito de Leiria.
créditos: PixaBay

Segundo uma nota de imprensa da autarquia, a proposta foi feita pela Associação Cultural e Desportiva do Rio Seco, coletividade do concelho que “dinamiza atividades de natureza cultural, desportiva e de lazer” há 20 anos, “mereceu o parecer positivo do Agrupamento de Escolas e agora vai potenciada pelo município da Batalha ao nível do 1.º ciclo do ensino básico como atividade integrada na componente de apoio à família”.

As inscrições decorrem durante este mês e o início do projeto está previsto para novembro nos centros educativos de São Mamede e Batalha, e nas escolas do Reguengo do Fetal, Batalha e Golpilheira, num universo de cerca de 400 alunos.

A Câmara da Batalha sustenta que “o xadrez fomenta a elaboração de decisões, o pensamento crítico e lógico, proporciona estratégias para resolver os problemas, assim como fortalece a capacidade de resistência”.

“À semelhança do que ocorre noutras atividades desportivas, uma iniciação precoce ao xadrez pode ajudar a que a criança desenvolva competências nesse jogo que se estendam a outros tipos de atividade”, considera a câmara, defendendo que “estes aspetos justificam a implementação de um projeto de xadrez no Agrupamento de Escolas da Batalha” com o qual pretende-se também “estimular a autoestima, a competição saudável, o trabalho em equipa, o prazer de jogar, a socialização e a prevenção de comportamentos desajustados desde o início da escolaridade”.

Citado na mesma nota de imprensa, o presidente da autarquia, Paulo Batista Santos refere que o projeto de xadrez na escola “é um investimento na formação dos jovens e um relevante contributo da valorização educativa das crianças das escolas da Batalha”.

Comentários