«Ação urgente» necessária na luta contra a tuberculose infantil

Agências de saúde globais lançam plano de ação para reduzir mortes de crianças por tuberculose.

Um relatório elaborado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) diz poderiam ser salvas 74 mil vidas de crianças, todos os anos, através de um melhor diagnóstico e de tratamentos mais eficazes.

 

Um fundo anual no valor de 88,6 milhões de euros (120 milhões de dólares) poderia ter um grande impacto na vida das crianças, incluindo nas infetadas com tuberculose e VIH, afirmam os especialistas.

 

O plano de ação foi hoje apresentado em Washington, nos Estados Unidos da América. Os signatários do plano de ação incluem a OMS, a Unicef, a Parceria Stop TB e um número de agências globais de combate à tuberculose.

 

O Roteiro para a tuberculose infantil: objetivo zero mortes baseia-se no mais recente conhecimento da doença e destaca ações para prevenir a morte de crianças.

 

Todos os dias cerca de 200 crianças com menos de 15 anos de idade morrem por tuberculose, enquanto mais de meio milhão fica doente todos os anos, indica o roteiro.

 

«Qualquer criança que morra de tuberculose é uma criança a mais», disse Mario Raviglione, diretor do Programa Global da Tuberculose da OMS. «A tuberculose é evitável e tratável, e este roteiro concentra-se em ações imediatas que governos e podem adotar para impedir que as crianças que morrem.»

 

O relatório diz que há uma necessidade urgente de concentração em crianças. Há escassez de testes de diagnóstico e de medicamentos apropriados para pediatrias, e há uma necessidade de melhor triagem e consciencialização.

 

«Para chegarmos a zero mortes por tuberculose, devemos concentrar-nos nos grupos mais vulneráveis e as crianças são o grupo mais vulnerável de todos», declarou Lucica Ditiu, secretário-executivo da Parceria Stop TB. «Os passos descritos neste roteiro são simples e de baixo custo. Devemos isso às crianças do mundo para colocar este plano em ação.»

 

Infeção contagiosa

A tuberculose é uma infeção contagiosa que afeta principalmente os pulmões, mas pode espalhar-se a outras partes do corpo. Se não for tratada, pode danificar os pulmões de tal forma que uma pessoa não é capaz de respirar corretamente.

 

Por vezes, os doentes não apresentam quaisquer sintomas durante muitos meses ou mesmo anos após a infeção. A tuberculose pode ser tratada com antibióticos, mas às vezes é fatal.

 

 

Maria João Pratt

artigo do parceiro:

Comentários