46% das crianças portuguesas nascem fora do casamento

INE apresenta indicadores demográficos de Portugal e Espanha.

O Instituto Nacional de Estatísticas revelou esta semana os dados de um relatório ibérico, que diz, entre outros dados, que os portugueses vivem menos do que os espanhóis e que têm mais filhos fora do casamento, indica o jornal Público.

Os números apontam para uma esperança média de vida saudável aos 65 anos de 9,2 anos para as espanholas e de 6,4 anos para as portuguesas. Já os homens portugueses vivem 7,9 anos de vida saudável depois dos 65 anos, enquanto que os homens espanhóis vivem cerca de 9,7 anos. Já os filhos tidos fora do casamento em Portugal representam 46%, enquanto que em Espanha a percentagem é de 35,3%.

O relatório revela também que em Portugal se registou um aumento da percentagem de cientistas e engenheiros entre os 25 e os 64 anos, sendo que nesta área Espanha continua ligeiramente à frente. No que diz respeito à percentagem de estudantes portugueses no estrangeiro, era, em 2011, mais do triplo do verificado em Espanha (4,4 para 1,2%, respetivamente).

 

Os dados do INE dizem ainda que enquanto que a população estrangeira em Espanha representa 13,7%, em Portugal esse valor fica-se nos 3,4%.

Já um dos pontos mais favoráveis a Portugal diz respeito às energias renováveis: Em Portugal, em 2011, consumiu-se 24,9% de energia renovável, enquanto que em Espanha esse valor foi de apenas 15,1%.

Não obstante as diferenças, existem indicadores comuns a ambos os países: o casamento sofreu uma queda a nível ibérico e as principais causas de morte são as mesmas em Portugal e em Espanha: doenças do aparelho circulatório, tumores e doenças do aparelho respiratório.

artigo do parceiro:

Comentários