Gripe na gravidez

As precauções que deve ter

A descrição não lhe será estranha. Arrepios desconfortáveis e uma sensação estranha de picadas nas articulações denunciam a sua chegada.

Rapidamente, o mal-estar estende-se a todo o corpo, surge febre alta e sentimos dores musculares, de cabeça, tosse seca, congestão nasal e, por vezes, olhos inflamados.

Não é nada agradável, trata-se da gripe, uma doença viral que ataca o sistema respiratório. No inverno, vários fatores facilitam o seu aparecimento e propagação: as temperaturas baixas e a menor incidência de radiação ultravioleta aumentam as hipóteses de sobrevivência do vírus durante o tempo suficiente para poder ser transmitido de um indivíduo infetado para um indivíduo saudável.

Outro fator favorável é o facto de passarmos muito tempo em espaços fechados cheios de pessoas, como os meios de transporte coletivos, empresas, escolas e creches.

Formas de contágio

O vírus transmite-se por partículas da saliva de uma pessoa infetada, expelidas sobretudo através da respiração, da fala, da tosse e dos espirros. O período de incubação (desde que se é infetado até que surgem os primeiros sintomas) é, em média, de dois dias, mas pode variar entre um e cinco dias. O período de contágio inicia-se um a dois dias antes do surgimento dos sintomas e até sete dias depois.

De acordo com a Direção-Geral da Saúde, geralmente a recuperação completa ocorre ao fim de uma ou duas semanas. No caso dos idosos e pessoas com doenças crónicas, esta tende a ser mais lenta e as complicações podem ser mais graves.

Se estiver grávida, peça conselho ao seu médico (e não tome medicamentos sem ser sob a sua supervisão), mas saiba que a Direção-Geral da Saúde recomenda a vacina para «grávidas que, em outubro, estejam no segundo ou terceiro trimestre da gravidez, para proteção de uma eventual evolução grave da doença durante a gravidez e para proteger os seus bebés durante os primeiros meses de vida».

Como prevenir?

A vacinação é a forma mais eficaz de prevenção da gripe. No entanto, é recomendada apenas a pessoas com idade igual ou superior a 65 anos e a doentes crónicos ou imunodeprimidos, com mais de seis meses de idade. Também os profissionais de saúde e outros prestadores de cuidados domiciliários e em instituições devem ser vacinados.

A altura ideal para tomar a vacina, sob prescrição médica, é outubro, embora esta possa ser administrada durante todos os meses do outono e inverno. Não devem vacinar-se as pessoas com alergia à proteina do ovo, nem quem tenha tido uma reação alérgica grave a uma dose anterior de vacina contra a gripe.

Comentários