Grávidas devem seguir dieta rica em iodo

Saiba porquê

A ingestão de alimentos ricos em iodo é fundamental durante o período da gravidez.

 

A carência deste nutriente durante a infância ou durante o desenvolvimento pré-natal pode mesmo provocar atrasos cognitivos nas crianças.

Cerca de 46 por cento das crianças portuguesas em idade escolar apresenta uma alimentação baixa em níveis de iodo, segundo um estudo recente realizado em Portugal. Esta carência alimentar pode pôr em causa o desenvolvimento cognitivo das crianças, de acordo com os especialistas.

 

Edwart Limbert, coordenador do Estudo do Aporte do Iodo em Portugal, afirma mesmo que «as deficiências do aporte de iodo, ainda que marginais, podem estar na origem do mau desempenho escolar». O especialista acrescenta, ainda, que «os défices limiares no aporte de iodo, como os verificados nalguns países europeus, podem ser acompanhados de dificuldades na atenção e na aprendizagem escolar em crianças aparentemente normais».

Uma alimentação rica em iodo é, por isso, fundamental em qualquer idade. No entanto, é na infância e durante a gravidez que a necessidade de consumir iodo aumenta. O iodo está presente no peixe, no marisco, no pão, no queijo, no leite de vaca, nos ovos, nos iogurtes e nas algas. Idealmente, as mulheres em idade de engravidar devem ingerir cerca de 150 mcg/dia que devem aumentar para cerca de 250 mcg/dia durante a gravidez e o período posterior ao nascimento.

Este insuficiente aporte de iodo na alimentação durante a infância ou durante o desenvolvimento pré-natal representa ainda um importante fator de risco para o aparecimento de alterações da função da tiroide que podem levar a atrasos mentais e de crescimento.

A deficiente ingestão de iodo pode levar à diminuição da produção de hormonas tiroideias (hipotiroidismo) e a um aumento da TSH (hormona hipofisária que estimula a tiroide) na tentativa de compensar essa diminuição. Na gravidez, défices baixos e moderados de hormonas tiroideias podem afetar o coeficiente de inteligência e o crescimento do feto. Por isso, é recomendado que todas as mulheres grávidas ou a amamentar tomem suplementos nutricionais diários que contenham iodo.

Durante a infância, os problemas da tiroide podem afetar tanto o desenvolvimento físico como mental que, por sua vez, pode prejudicar as competências sociais e de aprendizagem das crianças. É indispensável que os pais estejam atentos aos sintomas das disfunções da tiroide. Os especialistas alertam que «uma intervenção precoce é vital para evitar problemas a longo prazo», sublinha o coordenador do estudo.

Texto: Sofia Cardoso

artigo do parceiro:

Comentários