Compreender os movimentos fetais

Compreender os movimentos fetais

Os primeiros movimentos fetais ocorrem geralmente a partir das 19 semanas de gestação e tornam-se mais acentuados à medida que a gravidez vai evoluindo. Este acontecimento é um marco na gravidez, ajudando a mãe a ter uma perceção mais real do bebé. A perceção é variável de grávida para grávida e nem todos os movimentos serão sentidos pela mãe, sobretudo na primeira gravidez.

 

A partir do momento em que a grávida sente o bebé mexer, começam a surgir rotinas relacionadas com os movimentos fetais. Os primeiros movimentos são descritos como se fossem borboletas no baixo-ventre ou uma sensação semelhante a ter gases. Há um borbulhar que começa a tornar-se mais persistente à medida que a gravidez avança, acabando por ser reconhecido como pontapés e empurrões.

 

«As futuras mães são as melhores fornecedoras de informação ao médico sobre o bem-estar do bebé», refere Isabel Ramos de Almeida, fisioterapeuta especializada na área da saúde da mulher. Não há qualquer razão de alarme quando a rotina dos movimentos fetais aumenta, porque significa que o bebé encontra-se de boa saúde.

 

«Se pelo contrário, a grávida sentir que o bebé está a mexer-se menos do que o normal, deve em primeiro lugar questionar se há alguma razão para tal estar a acontecer. Depois deve ingerir algo com açúcar e um reforço (uma peça de fruta ou pão com queijo). Se continuar a não haver reação por parte do bebé, deve dirigir-se a um serviço de urgência ou contactar o obstetra.»

 

Movimentos fetais versus contrações

Isabel Ramos de Almeida explica como pode a mãe reconhecer a diferença entre os movimentos fetais e as contrações.

 

Na presença de movimentos fetais, a mãe vai sentido algumas zonas da barriga a ficar mais duras, como se o bebé se estivesse a espreguiçar, enquanto uma contração é sentida como se fosse uma faixa que acompanha toda a barriga, de um lado ao outro.

 

São diversas as sensações de como as contrações são percecionadas. É normal sentir o repuxar dos tecidos da barriga; ou sentir a perna presa; ou sentir uma moinha. Normalmente as mulheres reconhecem as contrações pela sua repetição.

 

Registo dos movimentos fetais

Numa fase mais evoluída da gravidez, o médico poderá solicitar à mãe para anotar o número de movimentos percecionados durante um determinado período de tempo.

 

Os movimentos fetais sentidos a partir das 35 semanas deverão ser anotados no Boletim de Saúde da Grávida, de acordo com as instruções do quadro de registo para o efeito ou conforme as indicações do médico assistente.

 

O registo dos movimentos fetais constitui informação médica útil, já que em determinadas situações poderá ser um indicador importante para vigiar a saúde materna e fetal.

 

 

Ana Margarida Marques

 

Poderá também gostar de ler:

A evolução da nossa gravidez - Segundo trimestre

Evolução da nossa gravidez - Terceiro trimestre

artigo do parceiro:

Comentários