Viajar sem os pais

Dicas práticas para preparar a viagem de uma criança sozinha

Para muitos, a ideia de se separarem dos filhos é um autêntico drama. Para outros, uma ideia (quase) como outra qualquer.

Independentemente da sua situação, nada como estar informado para acabar com todos os receios e com todas as dúvidas, como as que tem Paula Ferreira, assistente administrativa.

«Sou mãe de dois rapazes (sete anos e dez anos) e os meus sogros, que vivem em Paris, convidaram-nos para passarem umas férias em França. Nas viagens que fiz já vi que, por vezes, crianças que vão sozinhas, acompanhadas por uma hospedeira, e isso seria o melhor para mim e para o meu marido porque já que estaremos a trabalhar. Não sei a partir de que idade é possível fazê-lo nem que maturidade devem ter para viajarem sozinhas. Como posso preparar os meus filhos para este tipo de viagem?», questiona.

As crianças entre os cinco e os 11 anos podem viajar de avião sem a companhia de um adulto, usufruindo do estatuto de menor não acompanhado (UM), serviço disponibilizado por quase todas as companhias aéreas. A criança viaja ao cuidado do pessoal de cabine que, no destino, a entrega à pessoa que os pais previamente determinaram. «Em relação aos procedimentos a seguir, aconselho que obtenha mais informações junto da companhia aérea que eleger para a viagem dos seus filhos». recomenda a pediatra Helena Carreiro.

«Para que tudo corra bem, aproveite e converse com os seus filhos, explicando-lhes tudo o que se vai passar, tempo de voo, tranquilizeos quanto às pessoas que lhes irão prestar assistência, pois estão habituadas a acompanhar e garantir todas as necessidades durante o voo. Se possível, dê exemplos de outros meninos conhecidos que também viajaram nas mesmas circunstâncias», sugere ainda a especialista.

«Pode até recorrer ao exemplo das carrinhas da escola em que também há uma assistente para acompanhar os meninos. Combine com antecedência tudo o que querem levar na bagagem de mão e participe ajudando-os na preparação. É também importante que, imediatamente antes da partida, os ponha em contacto com os avós, para que partam tranquilos, seguros, satisfeitos e saibam que ao chegarem estes estarão à sua espera», refere ainda a pediatra.

Comentários