Stresse infantil

Aprenda a detetar os sinais de alarme

Nem todas as crianças se adaptam bem ao ambiente escolar. Se o seu filho tem andado estranho ultimamente, preste atenção às suas queixas e até às suas atitudes.

 

Os sintomas de stresse na infância podem surgir no campo psicológico, físico ou em ambos.

No entanto, fique ciente que «nenhum sintoma isolado pode ser interpretado como stress», sublinha a especialista acrescentando que «é necessário verificar se vários sintomas começaram a ocorrer de forma continuada» para relacioná-los com uma efetiva forma de stress.

E o que fazer perante uma criança stressada? Deve, desde logo, pedir «ajuda a um técnico de saúde mental, para detetar a origem do problema», aconselha. Provavelmente será necessário «rever a rotina da criança na perspetiva de eliminar fatores stressantes, para que se consiga um estado reparador do organismo».

Nesse sentido, os adultos devem adotar comportamentos capazes de «tranquilizar a criança e garantir um completo equilíbrio». Na opinião de Leonor Santos, quando numa família os diferentes elementos «se entendem, se aceitam uns aos outros e o diálogo, afeto e compreensão são a regra», é provável que «as dificuldades emocionais sentidas pela criança sejam reduzidas ou mesmo anuladas».

Na infância, o stress pode refletir-se a nível psicológico, físico ou ambos. Identifique os sinais:

Sintomas psicológicos

- Terror noturno
- Agressividade ou impaciência
- Choro excessivo
- Agitação
- Dificuldades em relacionar-se
- Depressão
- Desânimo
- Insegurança

Sintomas físicos

- Dores de barriga
- Diarreia
- Tiques nervosos
- Vómitos
- Hiperatividade
- Gaguez
- Ranger dos dentes
- Fazer chichi na cama

Texto: Cláudia Marina com Leonor Santos (psicóloga clínica e psicoterapeuta)

artigo do parceiro:

Comentários