Retinoblastoma

O Retinoblastoma é um tumor ocular que se desenvolve na retina (olho) resultante da mutação de um gene e que ocorre normalmente antes dos 4 anos de idade.

A retina é uma fina camada de tecido nervoso que cobre a parte de trás do olho e que permite a visão. Geralmente o retinoblastoma é unilateral, surgindo apenas num dos olhos, embora possa também surgir nos dois olhos, caso em que é bilateral.

Este tipo de cancro pode ser hereditário, sendo nestes casos o risco de recorrência maior. As crianças que tenham no seu histórico familiar casos de pessoas com retinoblastoma devem ser acompanhadas regularmente por um especialista, se possível logo desde o nascimento.

A maioria das crianças que inicia o tratamento antes do retinoblastoma se espalhar para fora do olho fica curada. Para além da cura, o objectivo do tratamento é, dentro do possível, manter a visão.

O retinoblastoma pode ser intraocular, quando atinge apenas o olho doente e está localizado, ou extraocular, quando o tumor se espalha pelos tecidos à volta do olho ou por outras partes do corpo, caso em que está metastizado.

O diagnóstico é feito pelo médico através de exames específicos para a saber qual o estádio da doença. O tipo de tratamento escolhido para cada criança depende do tamanho, localização e estadio do tumor. O primeiro objectivo é tratar e manter, sempre que possível, a visão do olho doente. Os tumores de pequenas dimensões são tratados através de métodos conservadores e só em alguns casos é retirado o olho e efectuada quimioterapia.

Os principais sinais e sintomas de Retinoblastoma são:
- Pupila branca;
- Alteração do movimento do olho;
- Estrabismo;
- Dor nos olhos;
- Perda de visão.

Saiba mais no Portal de Informação Português de Oncologia Pediátrica

artigo do parceiro:

Comentários