Pagar tarefas aos filhos?

Deverão os pais pagar ou não aos filhos para executarem tarefas em casa.

Muitos pais confessam que a única forma de conseguirem que os filhos adolescentes façam a cama todas as manhãs é pagando. De acordo com especialistas em Psicologia, não faz qualquer sentido pagar a uma criança ou a um jovem para que ele faça algo que é suposto fazer. Tal só lhe ensina que tudo pode ser resolvido financeiramente e, obviamente, que a execução da tarefa é sempre opcional – já que o pagamento pode ser recusado – e que quanto maior o esforço maior deverá ser a recompensa material. «Se a criança é paga para agir da forma correta, isso apenas significa que ela consegue ser subornada e não que foi convencida pela razão», explica o pediatra Paulo Oom. O raciocínio deverá ser exatamente o oposto.

 

Desde cedo, como a entrada no 1º ano, por exemplo, a criança deve receber uma semanada ou uma mesada. «Nada extravagante, apenas simbólica, no início, e capaz de satisfazer alguns pequenos caprichos à medida que a criança cresce», afirma o pediatra. Esse dinheiro deve ser entendido pela criança como útil para a sua independência, já que poderá comprar o que quiser, desde que não vá contra as regras estipuladas pelos pais.

 

Nunca deve ser paga uma retribuição pelas pequenas tarefas que são devidas à criança ou ao jovem, tais como fazer a cama, arrumar o quarto, ajudar a lavar a loiça, ajudar a estender a roupa ou tomar conta dos irmãos mais novos. Estas são tarefas comuns a todos os membros da família.

 

Da mesma forma, os pais não devem pagar aos filhos por terem aproveitamento escolar. Estudar e ter boas notas são obrigações das crianças e dos adolescentes. Contudo, no final de um ano escolar excecionalmente bom, os pais poderão oferecer um presente aos filhos; mas nunca sob a forma de dinheiro.

 

Obviamente que serviços «extra» podem ser pagos. Ajudar a carregar lenha para a garagem ou ficar em casa a servir de babysitter enquanto os pais vão jantar fora pode envolver alguma recompensa material. «Como regra, podemos pagar aos nossos filhos aquilo que é excecional e que iríamos pagar a outros para fazerem», remata Paulo Oom.

 

Regras de ouro

• Desde cedo devemos explicar à criança a importância relativa do dinheiro.

• A criança deve receber regularmente uma semanada ou mesada.

• Pagar para executar tarefas de rotina não deve ser uma opção.

• Podemos pagar para a criança executar tarefas excecionais e que teríamos de pagar a outros para as realizarem.

• Nunca pagar por boas notas.

 

 

Maria João Pratt

 

Fonte: Não te volto a dizer!, de Paulo Oom.

artigo do parceiro:

Comentários