Exposição solar

Os maiores erros que se podem cometer com as crianças

Por muito que, anos após anos, se multipliquem apelos e massifiquem campanhas que apelam à necessidade de uma protecção solar eficaz, a verdade é que continuam a ver-se pais e educadores que pouco ou nenhuma ligam a essas recomendações.

 

Outros limitam-se a ter esse tipo de cuidados na praia e esquecem-se de proteger os filhos quando vão passear ou brincar ao sol. A dermatologista Manuela Cochito aponta os três principais erros mais cometidos pela generalidade dos pais. Evite-os a todo o custo. Não brinque com o sol e muito menos com a saúde do seu filho!

 

Demasiada exposição solar


As crianças até aos três anos não devem ser expostas directamente ao sol. Segundo Manuela Cochito, dermatologista, «até essa idade, tolera-se que as crianças vão um pouco à praia, no princípio da manhã ou ao final da tarde, sem serem despidas e sem saírem da sombra».

 

Além disso, segundo a especialista, todas as crianças «devem usar chapéus com pala (para proteger o rosto e, particularmente, o nariz) e protecção da nuca. Daí para a frente podem começar a fazer mais exposição solar, de forma muito progressiva e com muito bom senso».

 

Pensar que estão completamente protegidas à sombra não está correto. «A sombra, ainda que recomendada, também queima, tal como os dias de nevoeiro», refere a dermatologista.

artigo do parceiro:

Comentários