Dos zangados se fazem os bons

A gestão dos conflitos na infância.

Os conflitos têm lugar desde sempre. O homem, enquanto animal social, sempre criou relações e nestas o conflito também é uma forma de relação.

 

As crianças também são promotoras de conflitos, sobretudo nas relações entre irmãos, entre primos nos almoços de domingo, na escola durante a semana ou no parque infantil ao sábado.

 

Para lidar com o conflito entre as crianças é necessário, antes de mais, reconhecer o seu estádio de desenvolvimento emocional:

 

- até aos dois anos, brinca sozinha ou em paralelo e procura o outro sempre com algum interesse;

 

- dos dois aos quatro anos, já consegue estar em conjunto por algum tempo, gosta de afirmar-se («Eu quero…», «Eu posso…») e a amizade é condicional («Se não me deixas brincar, não sou teu amigo»);

 

- entre os quatro e os cinco anos já socializa, é capaz de partilhar mas tem dificuldades em perder;

 

- a partir dos seis e até aos dez anos, socializa e, ao surgirem conflitos, já os justifica, tem consciência de justiça e capacidade de se colocar no lugar do outro, e as regras sociais estão interiorizadas e tem consciência de que as quebram.

 

Os pais podem controlar e minimizar os conflitos, sobretudo na relação entre irmãos, quando são capazes de manter limites com regras claras de funcionamento e comportamento, de ter expectativas realistas sobre o comportamento das crianças, e sobretudo como modelo na relação com os outros e com as coisas.

Comentários