Dar Sangue

A existência de componentes de sangue nos hospitais é fundamental para assegurar a qualidade do atendimento prestado aos doentes

O sangue é um tecido conjuntivo formado por vários componentes (plaquetas, glóbulos brancos, glóbulos vermelhos e plasma) que são fundamentais à manutenção do funcionamento de todos os órgãos do corpo e da própria vida.

Diversas doenças podem comprometer o bom funcionamento do sistema e dos componentes sanguíneos, fazendo com que as pessoas afectadas precisem de receber sangue de uma terceira pessoa, através do processo de transfusão sanguínea, para conseguir uma recuperação eficaz. O sangue e todos os seus constituintes são essenciais para garantir o tratamento ou mesmo a cura de muitas doenças. A existência de componentes de sangue nos hospitais é fundamental para assegurar a qualidade do atendimento prestado aos doentes, sendo utilizado em vários tipos de terapias, em processos cirúrgicos e na emergência médica.

Para ser um dador de sangue é necessário satisfazer vários requisitos básicos:
- Ser saudável;
- Ter entre 18 e 65 anos;
- Pesar mais de 50 Kg;
- Não ser consumidor de drogas ilícitas;
- Não ter recebido transfusão de sangue ou componentes sanguíneos;

As pessoas que vão doar sangue devem obedecer a um conjunto de condições para que o processo decorra com eficácia e com bem-estar para o dador:
- Não estar em jejum;
- Não ter ingerido bebidas alcoólicas num período de 24 horas antes da doação;
- Ter dormido bem na noite anterior pelo menos seis horas;
- Sentir-se bem-disposto.

Saiba mais em PIPOP - Portal de Informação Português de Oncologia Pediátrica Projecto da Fundação Rui Osório de Castro

artigo do parceiro:

Comentários