Cancro Pediátrico: Alimentação e Tratamentos

Em determinadas fases do tratamento, a criança ou adolescente pode necessitar de cuidados específicos no que toca à alimentação

Quando o doente tem náuseas e vómitos é importante proporcionar refeições pequenas, frequentes e de fácil digestão, não forçando a ingestão. É recomendável dar preferência a alimentos frescos e refeições leves, pouco condimentados, com pouca gordura e evitar odores intensos. Os líquidos deverão ser consumidos nos intervalos entre refeições.

Quando há perdas de apetite, aconselham-se refeições leves embora de elevado teor calórico (pão, tostas, bolachas, biscoitos, cereais, farinhas lácteas, cremes, iogurtes, gelados). Deve ser incentivada a ingestão de bebidas nutritivas, como sumos ou batidos, em detrimento de refrigerantes.

Em caso de mucosite (feridas na boca e garganta) ou dor a mastigar e engolir, a alimentação deve ser feita à base de alimentos moles e a temperaturas tépidas, evitando alimentos duros e secos. São de preferir refeições e pratos com molho, sem condimentos intensos ou ácidos.

A diarreia é uma situação que pode provocar desidratação e desequilíbrios nutricionais. É importante comer com frequência, realizando refeições com alimentos nutritivos, de fácil digestão, mas com pouca fibra (pão branco, bolachas água e sal ou Maria, arroz, batata, massas, carne e peixe).

A fruta deverá ser cozida ou assada e os legumes cozidos, evitando os vegetais de cor verde e escuros. Os lacticínios deverão ser substituídos por alimentos isentos de lactose ou de soja. Deverá incentivar-se a hidratação (água, chás de ervas ou néctares de fruta diluídos).

Se a diarreia persistir, significa que o doente não está a reagir positivamente à dieta adoptada, pelo que deve ser contactado de imediato o médico responsável.

Por vezes podem ocorrer casos de obstipação (prisão de ventre) como reacção ao tratamento com determinados medicamentos, à baixa ingestão de líquidos ou à falta de actividade física regular. É, pois, necessária uma dieta à base de alimentos ricos em fibra e aumentar a ingestão de líquidos com água, sumos naturais (preferencialmente laranja) ou tisanas (chás de ervas).

Conteúdo retirado do portal PIPOP (www.pipop.info), um projecto da Fundação Rui Osório de Castro (www.froc.pt)

artigo do parceiro:

Comentários