A arte dos TPC

Os trabalhos que as crianças em idade escolar levam para casa são essenciais para sedimentar conhecimentos. Descubra estratégias que lhe vão permitir ajudar (mesmo) o seu filho

Idealmente o local onde a criança faz os trabalhos de casa deve ser sossegado, sendo importante que ela o faça sempre no mesmo sítio, o que a vai ajudar a organizar-se interiormente, potenciando resultados. Pode eventualmente permitir que a criança escute música instrumental baixa, o que a poderá descontrair. Os trabalhos de casa não devem ser feitos após o jantar, pois nessa altura a criança já estará cansada e facilmente se desconcentrará.

Lembre-se, todavia, que esse é o momento para estar com os pais, para conviver, para jogar e para fazer todas as coisas próprias da idade... O ideal é que, durante a semana, após brincar, a criança se habitue a reservar cerca de uma hora por dia para o estudo em casa. Idealmente deverá reservar meia hora para os trabalhos de casa e outra meia hora para pesquisar e fazer outras leituras.

Caso a criança não tenha trabalhos de casa, sugira atividades para ocupar esse tempo. Ao sábado, por exemplo, pode sempre guardar trinta minutos para leituras e o domingo, a não ser que tenha um teste, é dia de folga. Esta é, pelo menos, uma filosofia que muitos especialistas defendem.

O acompanhamento mais correto
Não caia na tentação de fazer os trabalhos de casa ou mesmo resumos da matéria. Ajude o seu filho a chegar à solução. Esclareça-o, tire dúvidas e supervisione, mas dando-lhe sempre margem para que ele a encontre sozinho. Resista em sentar-se a seu lado a partir do momento em que ele for para a segunda classe.

Explique-lhe que não há qualquer problema em colocar dúvidas durante as aulas e que essa atitude é importante para compreensão da matéria e a resolução dos trabalhos de casa. Incentive-o a começar pelas tarefas mais monótonas.
O que fazer para motivar

Se o seu filho se mostra inquieto e não consegue fazer o trabalho experimente dividi-lo. Por exemplo, se ele tiver dez problemas de matemática, peça-lhe para começar por fazer cinco e depois mostrar-lhe. Nessa altura, elogie o seu esforço e incentive-o a acabar os restantes. Aponte os erros que comete e encoraje-o a corrigir, mas não faça com que o seu filho leve o trabalho para a aula imaculado, corrigido por si. Como diz Drew Adrews, psicólogo, «os professores têm de saber quais as dificuldades de uma criança».

Trabalhos especiais

Incentive o seu filho a manter um caderno onde aponta os trabalhos de casa diários e pergunte ao professor se ele irá ter projetos mais aprofundados no futuro. Desta forma, poderá planear com a criança a melhor forma de recolher material para esse tipo de trabalhos e evitar cair «na tentação de salvar o seu filho no último momento, fazendo viagens de emergência à biblioteca ou ficando acordado até de madrugada para passar o trabalho a limpo», alerta Drew Andrews.

Texto: Nazaré Tocha

artigo do parceiro:

Comentários