Os bebés não se queixam que veem mal

Pedro Menéres, médico oftalmologista e membro da direção da Sociedade Portuguesa de Oftalmologia (SPO), alerta para a importância da deteção precoce dos problemas visuais nos bebés, destacando que o método ideal são os rastreios ou uma consulta de oftalmologia até aos três anos.

Uma grande percentagem de bebés e crianças apresenta défices da função visual, como os erros refrativos (miopia, hipermetropia e astigmatismo), a ambliopia e o estrabismo. Numa primeira observação, o oftalmologista poderá detetar problemas de visão que passam despercebidos aos pais e que poderão ter vários efeitos negativos na vida dos bebés e crianças.

O oftalmologista Pedro Menéres afirma que nos primeiros anos de vida muitas crianças não se queixam de qualquer dificuldade. "Se um olho vê bem e o outro é amblíope, tudo pode passar despercebido até à realização de uma avaliação da visão e da graduação que deve sempre ser realizada pelo oftalmologista ou sob a sua supervisão. Uma criança apenas com um olho bom, como pode não ter qualquer limitação visual, pode não dar qualquer sinal de alerta", refere o especialista.

"Do ponto de vista médico, o ideal é rastrear precocemente. Para quem não realizou rastreios mais cedo é fundamental realizar uma observação oftalmológica até aos 3", salienta. Pedro Menéres explica ainda que "ver bem de um olho e mal do outro pode ser uma situação que passa despercebida e ser só percetível mais tarde, a partir dos 6 ou 7 anos".

"Se for diagnosticado apenas nessa idade o seu tratamento é complicado, já não sendo possível reverter essa situação", afirma.

Rastrear antes dos três anos

"Se não ocorreu um diagnóstico mais precoce, o período entre os 3 e os 4 anos torna-se crítico para conseguirmos tratar os problemas de visão de ambliopia que surjam na criança, pois é o período em que o cérebro está a processar se vai aproveitar ao máximo a visão e onde o oftalmologista pode influenciar se houver necessidade disso", frisa o especialista.

Sinais que não podem ser ignorados pelos pais:

- Aproximar-se em demasia e constantemente (por exemplo de um televisor);
- Fechar ou tapar um dos olhos;
- Vontade de esfregar os olhos;
- Queixas relacionadas com dores de cabeça;
- Olhos vermelhos ou lacrimejantes, em especial ao final do dia;
- Estrabismo ou fotofobia (dificuldade em suportar a luz).

Comentários