«O bebé é um ser único»

Entrevista exclusiva com Karlton Terry sobre psicologia pré e perinatal e terapia para bebés.

Karlton Terry é educador pré e perinatal, responsável pelo Consulate Healing Center, centro naturopata e holístico situado em Denver, nos Estados Unidos da América.

 

Além do seu trabalho para ajudar adultos a transformar as suas vidas através do acesso a experiências pré e perinatais, Karlton desenvolveu e ensina uma abordagem profunda e única de trabalhar diretamente com os bebés e suas famílias.

 

É membro da Sociedade Internacional de Psicologia e Medicina Pré-natal e Perinatal e membro da Associação de Psicologia Pré e Perinatal e Saúde.

 

Juntamente com Kathryn Kier fundou o Instituto de Educação Pré e Perinatal.

 

O que é um bebé?

Um bebé é um novo ser humano, cuja vida começou cerca de nove meses antes do seu nascimento. Tem um corpo que irá aprender a usar, um cérebro que está muito ocupado a adaptar-se ao seu novo mundo fora do útero, tem emoções tais como medo, tristeza, raiva e felicidade, e tem ainda certas tendências – uma personalidade que aguarda por emergir. De formas subtis, é diferente de qualquer outro bebé, e é nossa tarefa, enquanto pais que os amam e profissionais que trabalham com bebés, tornarmo-nos mais capazes de observar os nossos bebés de modo a ver quem eles são.

 

Quando podemos determinar melhor aquilo que cada bebé necessita especificamente, normalmente é bastante fácil colmatar essa necessidade e, ao fazê-lo, estamos a apoiá-lo a tornar-se mais poderoso: mais independente, mais afetivo, mais criativo e mais expressivo. As abordagens da escola convencional tendem a negar aos bebés o que eles necessitam (alimentá-los em função de um horário em vez da sua fome, tentar calá-los quanto eles precisam de chorar, tentar colocá-los numa rotina ou calendário que está em conflito com o seu próprio ritmo interno) e fazem-nos conformar-se com estruturas sociais adultas que frustram os bebés e criam uma exasperação expressa através de choro e birras.

 

Quando um bebé é compreendido e é-lhe dado o que ele necessita, na verdade chora menos, está mais satisfeito, menos exigente e menos instável, pois sabe que é amado e que terá aquilo de que necessita. Estes bebés são muito mais pacientes que os bebés que se tornam desesperados devido à negligência ou negação dos seus verdadeiros sentimentos e necessidades.

 

 

Comentários