Dos 6 aos 12 meses: Dicas essenciais para a ligação entre o pai e o bebé

Várias actividades ajudam a quebrar o "gelo" do pai principiante.

Uma das minhas memórias mais presentes do início da minha experiência como mãe tem a ver com a experiência da paternidade nessa fase.

Nunca teria pensado que o meu marido – o campeão dos assistentes na sala de partos – pudesse ficar tão indiferente na presença do troféu que tínhamos levado para casa. Evidentemente, ele amava o nosso filho, mas insistia em dizer que a experiência dele era diferente da minha. Eu podia amamentar o nosso filho, passar o dia com ele, embalá-lo até adormecer; a minha ligação com o nosso filho era tão profunda que até parecia que ainda estávamos ligados pelo cordão umbilical. Pelo contrário, o meu marido chegava a casa e parecia completamente desconcertado à frente do bebé.

Enfim, o meu marido não tardou a descobrir o que a maioria das mães sabe desde o início: que um bebé tem o seu charme e a sua graça. Eu entregava-lhe o bebé para ele tomar conta durante um bocado e, quando voltava, encontrava os dois a fazer caretas no sofá.

Agora, depois de três filhos, constato que o meu marido estava simplesmente inseguro. Muitas vezes, tomar conta de um recém-nascido reduz-se essencialmente à alimentação e ao aconchego e alguns pais não se sentem seguros de possuírem as competências adequadas para realizar esta tarefa. O verdadeiro segredo do elo entre pai e filho é aperceber-se de que não é suposto tentar ser outra mãe. O bebé já tem uma mãe e aquilo de que realmente necessita é que o pai seja apenas ele próprio. Ainda um pouco inseguro? Tente as seguintes actividades para quebrar o gelo.

continua

Dê o biberão da meia-noite

Quando comecei a complementar a amamentação com leite de substituição, o meu marido oferecia-se para se levantar para o banquete a meio da noite. OK, pronto, eu comecei por pressioná-lo para fazê-lo mas não tardou nada até ele me dizer que apreciava aqueles momentos que passava com o bebé. Mais ninguém à nossa volta, o som dos grilos lá fora e anúncios estranhos na televisão. Uma vez, ouvi o meu marido às 3 da manhã a conversar com o nosso filho, que estava a dormir profundamente. "Sabes que mais, meu rapaz?" perguntou ele. "Somos as duas únicas pessoas neste mundo a saber que este programa esta a ser emitido há quatro noites seguidas."

Jogar ao sisudo

Ser intrépido é coisa de homem, não é? Para que não pense que o seu pequenino não é duro de roer, inicie-o naquele antigo ritual de ver quem pisca primeiro os olhos. Se calhar vai ficar surpreendido. Os bebés adoram olhar para caras e o mais provável é que, muito antes de o bebé se aborrecer, o pai se distraia e pisque os olhos a pensar onde ele foi buscar aquela borbulha incrível ou se as orelhas saem à mãe ou à avó.

Brincar aos cangurus

O meu filho mais velho tinha muitas cólicas e só estava satisfeito ao colo. No final do dia, o meu marido costumava vir em meu salvamento: colocava o porta-bebé e ia tratar das suas coisas – varrer as folhas do jardim, pôr a mesa, atirar a bola ao cão – tudo isto com o nosso filho encostado à sua barriga.

Tomar banho juntos

Um pai recente nosso conhecido temia as noites em que era a sua vez de dar banho ao filho – a combinação de um bebé aos gritos e a sua pele escorregadia punham-no nervoso. Uma noite, decidiu despir-se e levar o bebé para a banheira com ele. Olhai e pasmai: o bebé manteve-se calmo o banho todo. O contacto com o peito do pai fez toda a diferença.

continua

Ler a página de desporto

Em voz alta. Temos de reconhecer: a mesma história para adormecer todas as noites tem efeitos limitados. Após a 1.500 leitura de um clássico, o meu marido decidiu finalmente dar um murro na mesa. Passei pelo quarto do bebé quando ia para a cama e ouvi-o a relatar muito suavemente ao Kyle os pormenores de um jogo de futebol. O bebé adorou cada segundo... não interessava o que o pai estava a ler, desde que o fizesse.

Ponha mesa para dois

Se o bebé já tiver idade para comer alimentos sólidos, pode fazer de mestre-de-cerimónias. É divertido – veja a comida a entrar, e a sair logo de seguida!

Mudar a fralda

Falemos agora de estabelecer o elo ao nível mais básico – com os bebés, o essencial envolve muitas vezes limpar uma grande trapalhada. Durante a muda da fralda, tem a oportunidade de tocar no bebé e falar com ele, mas é por vezes difícil maravilhar-se com os encantos na paternidade quanto tudo o que vê é uma fralda empapada. Ainda assim, justiça seja feita. O marido da minha amiga Maria perguntou-lhe uma vez o que ela fazia o dia todo com o bebé, por isso ela alinhou 18 fraldas sujas em pilhas impecavelmente organizadas em sacos de plástico no alpendre à entrada da casa, para que ele visse quando chegasse a casa.

Esteja presente quando houver uma constipação ou uma febre

Ninguém quer ter um bebé doente mas não há nada como uma doença para comprovar como o pequenino precisa realmente de si. Uma noite passada a embalar uma criança doente dar-lhe-á uma dolorosa e preciosa consciência do que significa ser pai.

continua

Levantamento de pesos

A má notícia é que, uma vez pai, deixará de ter muito tempo para ir ao ginásio. A boa notícia é que acabou de adquirir um conjunto fabuloso de pesos para os braços, com cerca de 3 a 10 quilos. Quando o pescoço do bebé passou a suportar o peso da cabeça, o Tim equilibrava o seu corpo na palma da mão, enrolava-o cuidadosamente e depois içava-o ou baixava-o, conforme lhe apetecia... e era óptimo para ambos: para os bicípetes e para o bebé.

Seja um painel de texturas

Um dos melhores atributos dos homens é que dão óptimas sensações ao tacto (caso contrário, se calhar nem sequer teriam chegado a ser pais...). Desde o áspero sombreado de uma barba por fazer a um sedoso bigode e a um corte de cabelo à escovinha, um pai é uma delícia para o tacto. Mas atenção: há dedinhos que podem puxar dolorosamente os pêlos do peito.

Tire fotografias

Nenhum assunto é tão perfeito como o seu próprio filho. Vantagem adicional? Todas as avós e avôs e tios e primos que receberem as fotografias verão claramente como se está a divertir no papel de pai.

Ponha-o a mexer (com conta, peso e medida)

Estudos demonstraram que as mães e os pais seguram nos bebés de forma diferente. As mães são provavelmente mais suaves; os pais são geralmente um pouco mais físicos. Nunca deve abanar um bebé, mas pode sem dúvida estimular-lhe os músculos. Se o bebé já se sentar, é possível que goste de ser lançado suavemente para o ar ou “andar a cavalo” no seu joelho ou ser transportado debaixo do braço como uma bola de futebol ... coisas que as mães provavelmente não fazem, mas que são receitas certas de absoluto delírio.

artigo do parceiro:

Comentários