Dos 6 aos 12 meses: Dez formas de acalmar um bebé

Não sabe como acalmar o seu bebé? Estas formas foram testadas por pais.

Os pais não são tidos em grande consideração pelos seus dotes de sossegar e mimar os bebés. Mas se falar com a maioria dos pais, irá perceber que, por amor ou pura necessidade, a verdade é que desenvolveram formas de acalmar os seus filhos. Como? André Mateus, pai de dois filhos, falou com vários país para descobrir os seus métodos favoritos para vencer aqueles inevitáveis soluços. Aviso à navegação: não há soluções universais
Em vez de usar algumas das técnicas mais óbvias, como ir buscar a chupeta ou dar uma volta de carro à meia-noite, os pais inquiridos partilharam as seguintes soluções. Sinta a dor do bebé
Pôr o CD favorito do bebé não irá saciar a sua fome e um bebé com dentes a romper não parará de chorar se lhe mudar a fralda: "Em primeiro lugar, encontre a origem da dor". Sim, parece uma noção quase demasiado lógica mas, quando o ciclo de choro se instala, o sentido de lógica fica normalmente de fora. Tente o dedinho
Se não tiver a certeza do que está na origem do problema, limpe o dedo mindinho e ofereça ao bebé para ele chuchar. "É um clássico", conta um pai de dois filhos. Efectivamente, este é o método mais popular para sossegar um bebé a chorar, logo a seguir à técnica de “passar o bebé à mãe”. O segredo é introduzir o dedo ao contrário, de modo a não arranhar o céu da boca do bebé com a unha. Vá buscar uma bebida
Para o bebé, claro. Se a amamentação não for opção – e há poucos homens dispostos a tentar – tente oferecer ao bebé um biberão de leite de fórmula morno ou o leite materno que a sua mulher tenha deixado no frigorífico antes de sair. Embalar e baloiçar
Os bebés adoram o movimento – e quem melhor para os baloiçar pela casa senão os braços fortes do pai? "A cadeirinha do automóvel também funcionava como transportador de bebés” pai de uma menina. "Quando a minha filha começava a chorar, eu encostava-me a uma cadeira ou a uma parede e baloiçava a cadeirinha para a frente e para trás." A menina chama-lhe o “baloiço multi-usos”, dado que tanto podia ser usado como sedativo para o bebé como para praticar exercício. "Acabei por abandonar este método quando reparei que o meu bicípete e tricípete direitos estavam mais desenvolvidos do que os do lado esquerdo”, lembra. continua

Comentários