Dos 12 aos 36 meses: Dicas essenciais para a ligação entre o pai e o bebé

Várias actividades ajudam a quebrar o "gelo" do pai principiante.

Uma das minhas memórias mais presentes do início da minha experiência como mãe tem a ver com a experiência da paternidade nessa fase.

Nunca teria pensado que o meu marido – o campeão dos assistentes na sala de partos – pudesse ficar tão indiferente na presença do troféu que tínhamos levado para casa. Evidentemente, ele amava o nosso filho, mas insistia em dizer que a experiência dele era diferente da minha. Eu podia amamentar o nosso filho, passar o dia com ele, embalá-lo até adormecer; a minha ligação com o nosso filho era tão profunda que até parecia que ainda estávamos ligados pelo cordão umbilical. Pelo contrário, o meu marido chegava a casa e parecia completamente desconcertado à frente do bebé.

Enfim, o meu marido não tardou a descobrir o que a maioria das mães sabe desde o início: que um bebé tem o seu charme e a sua graça. Eu entregava-lhe o bebé para ele tomar conta durante um bocado e, quando voltava, encontrava os dois a fazer caretas no sofá.

Agora, depois de três filhos, constato que o meu marido estava simplesmente inseguro. Muitas vezes, tomar conta de um recém-nascido reduz-se essencialmente à alimentação e ao aconchego e alguns pais não se sentem seguros de possuírem as competências adequadas para realizar esta tarefa. O verdadeiro segredo do elo entre pai e filho é aperceber-se de que não é suposto tentar ser outra mãe. O bebé já tem uma mãe e aquilo de que realmente necessita é que o pai seja apenas ele próprio. Ainda um pouco inseguro? Tente as seguintes actividades para quebrar o gelo.

Comentários