Dos 0 aos 6 meses: A amamentação muda à medida que o bebé cresce

De que modo a amamentação se altera com o crescimento do bebé?

Uma mãe responde:

Nos primeiros dias, semanas ou, possivelmente, meses, a amamentação é estimulada pela prolactina, a hormona de produção do leite. É ela que, juntamente com a sucção do bebé, estimula a produção de leite pelo organismo. A maioria das mulheres sente o peito “cheio” entre mamadas.
Os níveis de prolactina descem gradualmente nos primeiros seis meses após o nascimento do bebé e o leite passa a ser produzido como resposta directa à frequência com que o bebé se alimenta e em que quantidade. Efectivamente, estudos demonstraram que os níveis de prolactina regressam aos níveis prévios à gravidez quando o bebé atinge os seis meses de idade, mas é perfeitamente possível fornecer todo o leite de que o bebé necessita, bastando para isso dar-lhe de mamar. Todavia, deixará de sentir o peito cheio porque a produção do leite é mais eficiente e mais reactiva, ou seja, de acordo com as necessidades do bebé. Agora que o seu organismo se baseia mais no estímulo do bebé, e não tanto nas hormonas, para produzir leite, deixará de armazenar tanta quantidade de leite “extra” entre as mamadas.
Por vezes, as mães ficam preocupadas pensando que o facto de sentirem o peito menos cheio significa que não têm leite suficiente. Poderá ficar ainda mais ansiosa se o bebé começar a reduzir o tempo da mamada para apenas alguns minutos, o que acontece com muitos bebés quando ficam mais velhos. Quando isto acontece, apresentar novamente o peito ao bebé pode fazê-lo chorar – mas não porque não tem leite. Ele simplesmente já terminou a refeição e, como a interacção mãe/bebé está a funcionar tão bem, ele consegue obter aquilo de que necessita em menos tempo.
O seu leite é perfeito para o seu bebé e permanecerá um alimento e uma bebida nutritivos, reconfortantes e saudáveis durante todo o tempo que continuar a amamentar.

artigo do parceiro:

Comentários