Dias de exceção: A rotina e o sono

Poderão surgir dificuldades em épocas festivas que levam, só por si, a um ligeiro alterar de rota habitual. É um desafio, mas é bom saber que pode ser controlável!

Carolina N. Albino, Especialista em Ritmos de Sono do Bebé

 

Para cada vez mais pais é notória a importância de uma rotina ajustada à idade e peso do bebé, no que toca ao sono e alimentação, para aquisição e consolidação de bons hábitos. É imprescindível que a rotina seja adequada, pois caso contrário, mesmo sem dias festivos e de exceção, o bebé poderá apresentar mais dificuldade em comer e dormir bem.

 

Então o que fazer? Os dias de exceção são geríveis! A primeira premissa está em si! Depende grandemente da vontade dos pais mostrarem ao bebé que o contexto, o lugar, as pessoas podem mudar, mas o resto é para manter (a base essencial).


E como poderão fazê-lo? Orientando o bebé sob os mesmos intervalos de alimentação, colocando o bebé para dormir quando mostra sinais de sono, e comunicando com ele sob a mesma base de ligação que fazem quando estão em casa em dias normais. Certamente que poderá ser uma tarefa mais desafiante para os pais, que poderão estar mais desconcentrados, em viagem, etc, no entanto, são da maior importância situações como estas, quando se quer promover a consolidação dos melhores hábitos no bebé, em especial de sono- em qualquer lugar. Para um bebé podem bastar 2 dias de exceção seguidos à sua rotina para poder demonstrar sinais de “baralhação”, menos cooperação, mais dificuldade em acalmar.

Muitas vezes os pais questionam-me se a rotina do bebé é para pôr em prática em qualquer lugar. Absolutamente: convém explicar que a rotina do bebé não é algo acessório à sua vida, mas sim a melhor orientação que protege o bem-estar máximo do bebé, e como não podia deixar de ser, igualmente no campo do sono. Então orientar um bebé numa rotina é passível de fazer em qualquer lado: na casa dos avós, na rua, na praia, em viagem... Não será lógico que o bebé possa aprender que mesmo em locais diferentes, deve igualmente dormir e comer bem? Se para os pais isso é importante, é necessário então que possam ensiná-lo ao bebé, pois ele aprende exatamente aquilo que for ensinado.


Não é difícil fazê-lo de acordo com este mindset:

 

- Podem existir dias em que o bebé sai da rotina, seja por influência externa ou mesmo interna (do próprio bebé) - esta afirmação só se torna válida se os pais poderem controlar a quantidade de exceções que são aceitáveis para o seu bebé, e para tal é necessário conhecer bem o bebé, através de uma rotina ajustada torna-se mais fácil. Depois lembrar que depois de dois dias de exceção, ao terceiro o bebé poderá estar já baralhado.

 

- Poder de ajuste: é possível manter a rotina do bebé em qualquer local, bastando para isso condições mínimas (ter o que comer, e um sítio onde dormir seguro, e alguém carinhoso que o oriente) reproduzindo os rituais de forma similar ao que é feito em casa. Por exemplo, se em casa os pais usam uma música para o ritual de acalmar( antes de ir dormir), e ali não existe, os pais não devem temer essa falha, pois se mostrarem essa insegurança é normal que o bebé o sinta. Os pais devem fazer tudo o resto igual, mesmo sem a música, já que importa o conjunto de referências: falar mais devagar, enunciar certas palavras, mudar a fralda e oferecer a chucha, diminuir a luz, etc.( caso o ritual seja esse o normal antes de dormir)

 

- Horários de refeições: manter uma rotina em qualquer lado implica seguir os horários de alimentação. O seu bebé terá sempre que comer nos intervalos certos( nem seria justo não o fazer). Depois das alimentações, segue tudo com naturalidade - o momento em que o bebé está acordado em “atividade”. Depois do consumo de energia, que pode ser mais ou menos intenso, dependente do nível de intensidade do estímulo, o bebé dará os seus sinais de sono. Aí é importante que os pais possam reduzir o estímulo (ou limitando o campo visual, ou levando o bebé para um local mais tranquilo), e possam acalmá-lo antes de ir dormir através de um ritual que o promova, mas que possa ser o que o bebé conhece.

 

Para finalizar, é importante lembrar que os dias de exceção são isso mesmo, são dias excecionais e como tal, não devem ser o padrão. Mas, se mesmo após um esforço consciente em manter tudo mais parecido com o padrão regular do bebé, as coisas saírem do controlo, seja por que razão for, deve usar-se de sensatez, pois uma situação de exceção poderá sempre ser corrigida no dia seguinte, e assim controlada uma nova e indesejada padronização.

artigo do parceiro:

Comentários