Deixar as fraldas

Pediatra ensina a lidar com esta fase de crescimento

É normal as crianças apresentarem períodos de regressão que passam algumas vezes pelo não controlo dos esfíncteres.

Na maioria das vezes isto acontece porque, ao brincar,
distraem-se e quando se apercebem é tal a urgência que já não vão a tempo de o fazer.

Uma maneira prática de contornar o problema consiste em exercer, durante o dia, uma vigilância mais apertada, lembrando-a regularmente das suas necessidades fisiológicas sem a pressionar e explicando-lhe que ir fazer xixi é normal, devendo mesmo acompanhar o seu filho à casa de banho. Tenha, contudo, o cuidado de lhe dar espaço para que não se sinta pressionado ou inibido pela sua presença.

Durante a noite penso que não valerá a pena acordá-lo, pois isso irá perturbar o sono. Poderão dialogar e fazer um acordo, explicando que mesmo numa fase transitória é mais prático colocar de novo a fralda, que é normal os meninos necessitarem de fralda durante a noite, até que ele entenda que já não é importante. Se esta situação não for encarada como um problema, certamente não irá afetar a sua autoestima. Acima de tudo, não se esqueça de desvalorizar de cada vez que acontecer.

Os sinais aos quais deve estar atenta:

Treino do bacio
Sem apressar a criança, deve encorajá-la a fazer as suas necessidades na retrete ou no bacio através de estímulos positivos como cuecas novas com o desenho animado preferido, por exemplo. Não recorra à chantagem para chegar ao resultado pretendido, na medida em que o controlo das necessidades fisiológicas não depende de uma decisão por parte da criança.

Descuidos
A criança pode ter vários descuidos no processo de deixar de usar fralda. Esta situação pode dever-se a uma fase de regressão mas está frequentemente relacionada com o facto de a criança pensar ter tempo suficiente para chegar à casa de banho ou então com a dificuldade em perceber bem a sensação de ter vontade de fazer as necessidades.

Enurese noturna
Considera-se que uma criança tem enurese noturna quando urina de forma inconsciente e involuntária durante a noite, e numa idade em que já deveria ser capaz de controlar esta necessidade. A frequência da enurese noturna ronda os 30 por cento em crianças com quatro anos, vai diminuindo com o crescimento e existe em cerca de um por cento dos adolescentes com 15 anos.

Dica
Primeiro, a criança deve aprender a usar a retrete ou o bacio durante o dia. Só depois se deve começar a fase de adaptação noturna.

 

Texto: Helena Carreiro (pediatria)

artigo do parceiro:

Comentários