Como cuidar da pele do bebé

Os gestos que a pele sensível das crianças exige

É conhecida a fragilidade e delicadeza dos bebés, por isso, proteger e cuidar são palavras de ordem quando se fala da pele do seu filho.

 

A camada córnea é extremamente fina e permeável a agentes externos e o risco de absorção de substâncias agressivas ou irritantes é superior ao que acontece na pele dos adultos. 

 

Deste modo, para manter saudável e protegida a pele do seu bebé há cuidados diários elementares, que deve obrigatoriamente seguir.


Dentro de água

 

A hora do banho, mais do que um puro gesto de higiene é, também,  um momento de descontração. Mas há regras que devem ser observadas em prol de uma pele saudável. Assim sendo, a água do banho ou do duche não deve ser muito quente, o tempo de permanência no banho não é conveniente que ultrapasse os dez, quinze minutos, os produtos utilizados na lavagem do seu filho devem ser específicos para crianças e adaptados ao seu tipo de pele.

 

No fim do banho deve usar uma toalha macia, recorrendo a gestos suaves. Esfregar com força não tem qualquer vantagem, pois não é por esse motivo que a pele do seu filho ficará menos húmida, acaba por ser apenas mais uma agressão ao tecido cutâneo.

 

Após o banho

Depois do banho é necessário hidratar, uma vez mais, com produtos de hidratação que não alterem o seu filme hidrolipídico e o equilíbrio do pH da pele. Mas como o contacto do creme ou leite hidratante costuma ser desconfortável para o bebé, devido à diferença de temperatura, há um velho truque, de execução fácil, que costuma resultar.

 

Assim, coloque o frasco do creme dentro da água do banho para que este aqueça. Desta forma, na hora de o espalhar no corpo do seu filho, ele não terá qualquer razão para se sentir desconfortável. Pela manhã, depois de lhe lavar a cara, deve aplicar-lhe creme hidratante no rosto, pescoço e mãos. Há que não esquecer que a secura fragiliza a pele e causa prurido, muito desconfortável para um adulto e pior ainda para uma criança. Por tudo isto, hidratar desde que se nasce é imperativo.

artigo do parceiro:

Comentários