Adeus fraldas

Tudo o que precisa de fazer para conseguir que o seu filho as deixe

É uma das etapas mais aguardadas pelos pais, mas há que esperar que o bebé esteja pronto. Reconheça os sinais e veja como ajudá-lo.

Deixar a fralda marca um momento importante na vida do seu filho.

 

Ele cresce a olhos vistos e todos os dias a surpreende com novas capacidades e proezas mas é o facto de abandonar o uso da fralda que concretiza a passagem de bebé a criança. Normalmente, é uma altura aguardada com ansiedade pelos progenitores, mas é essencial respeitar o ritmo de cada bebé e, claro, estar preparado para acidentes. Siga os nossos conselhos e despeça-se da fralda.

Chegou a hora

O segundo aniversário é o marco comum para iniciar esta aventura, mas a decisão não deve depender apenas da idade. «Normalmente, é por volta dos dois anos que se inicia o processo. No entanto, é preciso estar atento aos sinais que o bebé emite e que definem se está ou não preparado. Por exemplo, se ele já consegue avisar antes de fazer, consegue conter-se e tem um horário regular que permite antecipar a situação, poderá ser um bom momento», informa a pediatra do desenvolvimento Mónica Pinto.

Por etapas

A melhor altura do ano para a erradicação da fralda será a primavera ou o verão já que a criança terá menos roupa a atrapalhar. Mas atenção. «O processo pode durar toda a estação e não é provável que o bebé deixe a fralda de dia e de noite ao mesmo tempo», esclarece a especialista.

Até porque, se o deixar a fralda de dia é algo que pode ser treinado, o mesmo não acontece de noite. «Só ao fim de cerca de duas semanas com a fralda seca de manhã é que os pais devem começar o desfralde noturno», aconselha.

Tranquilidade geral

Se há crianças para quem esta mudança decorre com facilidade e sem grandes incidentes, para outras o sucesso demora mais a ser alcançado. E é aqui que o pais têm um papel essencial. «É muito importante que os progenitores estejam preparados para os acidentes e nunca recriminem o bebé quando estes acontecem», explica a pediatra. Na prática, há que eliminar a ansiedade normal associada a este processo e não ter pressa.

Comentários