Os meus filhos e os filhos dos outros

Se eu tivesse 25 filhos não era a mesma que sou tendo 2 filhos mais 25 “filhos dos outros”

Sou educadora de infância e muitas pessoas me perguntam como consigo ter paciência para os meus filhos depois de passar um dia inteiro com crianças.

 

A verdade é que os nossos filhos cansam-nos muito mais do que os alunos. Porque sabem que podem esticar muito mais a corda, porque conhecem melhor os nossos pontos fracos e porque, na verdade, com os nossos filhos não conseguimos ser tão assertivas como com os alunos.

 

De certeza que, se eu tivesse 25 filhos não era a mesma que sou tendo 2 filhos mais 25 “filhos dos outros”. Quando estou com os filhos dos outros, os alunos portanto, estou em modo trabalho.

 

Há toda uma envolvência, um contexto que faz com que as crianças estejam mais organizadas. E quando se gosta do que se faz, não se tem a percepção de estar apenas “com os filhos dos outros”. Há uma entrega total e até uma certa magia quando estou na sala de aula.

 

No fundo, sinto-me uma privilegiada! Quem dera àquelas 25 mães, poderem passar o dia com os seus filhos. Eu posso e ainda me pagam para isso! E ver crianças a crescer, a descobrir o Mundo, a absorver tudo o que lhes ensinamos e a olhar para nós como se fossemos um Sábio Feiticeiro que tudo sabe e tudo consegue é mesmo uma sensação maravilhosa.

 

Depois, tento fazer o mesmo em casa, numa escala menor e com os recursos que não se tem na sala de aula. Normalmente, quando saio do trabalho, páro 10 minutos para estar sozinha, como qualquer coisa e respiro fundo longe do barulho. Faço um reset e estou pronta para ser mãe e ir ter com os meus filhos (quase) fresca como uma alface!

 

Qual é a mãe que não vai a voar buscar os filhos à escola cheia de saudades por não os ver desde a manhã? Acho até que tenho muito mais paciência para os meus filhos porque o barulho de fundo das crianças já me é indiferente e tenho tantos remorsos de passar o dia a mimar os outros que tento compensar os meus por essa quase traição! Já dei por mim a esconder o telemóvel da minha filha para ela não ver as fotografias que tirei aos alunos com medo que ela fique com ciúmes.

 

Resumindo e concluindo, é tão bom passar o dia com 25 crianças a dar mimos, colo e beijinhos, a sujar as mãos com tintas e colas, a rebolar no chão, a descobrir a vida e o Mundo e depois chegar a casa e fazer exactamente o mesmo, sem as colas e as tintas e com a vantagem de caberem todos no meu colo ao mesmo tempo!

 

Família 3 e 1/2

Comentários