Yolanda Lobo: “Não contem comigo para criticar os outros”

A antiga manequim vai dar conselhos de moda no programa “Passadeira Vermelha” do novo canal SIC Caras

Ícone da moda portuguesa, Yolanda Lobo, 53 anos, abraça um novo projeto com uma rubrica de moda no novo canal SIC Caras. A empresária e antiga manequim vai ser uma das comentadoras do programa “Passadeira Vermelha”. Vai dar conselhos de moda, mas não contem com ela para criticar os outros…

O Canal SIC Caras estava a fazer falta?

Estava a fazer muita falta este espírito da revista Caras, que transportado para a televisão só pode dar boa coisa.

Porquê?

Porque a Caras é a única revista portuguesa que é capaz de falar sobre as pessoas sem se imiscuir na sua vida privada ao ponto de as achincalhar. E isso é bom!

É difícil definir a linha que separa o privado do público… Quais são os limites?

É muito difícil… No que me diz respeito, acho que tenho conseguido resguardar-me ao longo da vida. Nunca quis nem nunca permiti, por exemplo, que as pessoas entrassem na minha casa para me fotografar com a família. Mas já aconteceu estar de férias ou num hotel e de sermos fotografados. Mas pára aí. Não tenho de contar se fui hospitalizada, se os meus filhos estão bem ou não, se o meu marido está bem… Tem que haver um limite para sentir que há uma parte da minha vida que é só minha. É importante que as revistas respeitem isso.

O canal SIC Caras vai ter essa postura?

A intenção é essa, saber ter uma forma de comunicar sem se imiscuir na vida íntima das pessoas. A postura da crítica também vai ser outra. Não concordo com a crítica que se faz às pessoas sobre as roupas que escolheram ou como atuaram. Quem sou eu para criticar os outros? Posso dar a minha opinião de uma forma geral. Agora, para criticar A, B ou C tinha de ser um suprassumo e não me assumo como isso. Acho que ninguém deveria assumir essa postura de, perante milhares de pessoas, ser capaz de criticar alguém.

A Yolanda está habituada a surpreender o público com os seus “looks” arrojados mas elegantes. Qual é o segredo?

Para a festa da SIC Caras vim vestida pelo João Rolo (ver foto), que é uma figura que admiro imenso, porque é capaz de criar moda mantendo as mulheres femininas e respeitando o estilo de cada uma.
Convidei o João Rolo e a Veste Couture para me vestirem para o programa que vou fazer, porque são duas marcas que têm a ver comigo. Em tudo o que faço na vida, seja comprar uma peça de roupa, uma mala, uma peça para a minha casa, escolher um restaurante ou um local de férias, tento sempre que haja simplicidade e sobriedade. É aprender a estar sempre naquele patamar em que as pessoas dizem “tem imensa classe!”.

Mas como consegue isso tudo?

Não gosto, por exemplo, de vestir uma roupa que brilhe mais que o meu interior, nós é que temos de adornar a roupa. Portanto, não preciso de pôr lantejoulas muito brilhantes, vermelhos, roxos ou cor-de-rosa para encher uma sala. Nós é que temos de fazer a indumentária, não é a roupa que tem de nos mascarar.

E vai ensinar-nos isso tudo no seu programa na SIC Caras?

Já no primeiro! (risos) Vou estar no ar entre as 22h00 e as 00h00 no “Passadeira Vermelha”. Vamos ser vários comentadores e vou estar à conversa já no primeiro programa com o fotógrafo João Bacelar.

artigo do parceiro: Top Fama

Comentários