Romance Obama/Beyoncé é treta

O “paparazzi” francês que lançou o boato diz que foi “uma brincadeira”.

Pascal Rostain, o “paparazzi” francês que pôs a imprensa internacional em polvorosa com a notícia de um alegado romance secreto entre o presidente Barack Obama e a cantora Beyoncé veio ontem dizer que tudo não passou de “uma piada”. 

Disse ele ao “Le Figaro”, um dos muitos jornais ditos “de referência” que, desta vez, também caíram na esparrela: “Não passou de uma brincadeira. Quis provar que é muito fácil hoje em dia transformar um boato numa notícia. E foi incrível ver o burburinho que causei. Recebi centenas de chamadas, a Casa Branca fez um desmentido. Só queria mostrar a degradação absurda em que se transformou o meu trabalho e até que ponto os jornais vão para vender notícias. Um rumor transformou-se em verdade e não passou de uma piada”.

O burburinho começou quando Pascal, tido como um fotógrafo muito bem informado, anunciou na rádio Europe 1 que o jornal “Washington Post” tinha em seu poder fotos reveladoras do tal romance Obama/Beyoncé e que iria publicar a história daí a umas horas. 

Sites e jornais de todo o mundo pegaram imediatamente no boato, foram desenterrar histórias antigas e muitos deles chegaram a anunciar que o casamento de Obama e Michelle já não existe na realidade e que o divórcio será consumado logo que o presidente norte-americano termine o seu mandato.

O “Washington Post” manteve-se em silêncio sobre o assunto durante longas horas – o que muito contribuiu para a ampliação dos rumores - , mas acabaria por vir a público garantir que não tem em seu poder quaisquer fotos comprometedoras para os supostos amantes.

Beyoncé não se pronunciou diretamente, mas um porta-voz de cantora qualificou tais notícias de “absurdas”.

Comentários