Rita Guerra vítima de violência doméstica

A cantora conta histórias inéditas num livro autobiográfico que chegará às lojas em março próximo.

Rita Guerra vai lançar em março um livro autobiográfico onde promete “revelar coisas que até hoje nunca tinha revelado”, como o período em que foi vítima de violência doméstica.

“Os meus filhos já conhecem toda a minha história, nunca lhes escondi nada nem nunca tive tabus com eles”, adiantou ao Sapo Lifestyle, a cantora que, aos 47 anos, é mãe de Nuno, de 30 anos, Diogo, 23, e Madalena, 14, fruto de dois relacionamentos.

Para o grande público, Rita Guerra vai “omitir a identidade do agressor, “porque não interessa”.

“O que importa é a mulher que sou e qual foi o meu trajeto até aqui”, defende Rita Guerra, que dedica uma boa parte do livro à vida pessoal “para que as pessoas percebam melhor o meu caminho”, explica.

“Eu sei bem o que é a violência doméstica, física e psicológica, porque já passei por isso e esse será um dos assuntos abordados. É uma história com muitos anos e, hoje, é já uma situação super-resolvida. Quando lerem, as pessoas vão perceber porque é que o livro existe e porque revelo estes temas”, sublinha a cantora, que irá lançar a autobiografia em março.

Sem namorado conhecido desde o fim do casamento-relâmpago com o ator António Pedro Cerdeira, em 2012, Rita Guerra está solteira e bem-resolvida. “O meu coração está fresquinho e limpinho. Estou ótima!”, conclui a cantora.

artigo do parceiro: Top Fama

Comentários